Sobre a Memória

img_4779

Em De Profundis, Valsa Lenta, José Cardoso Pires escreveu: “Sem memória esvai-se o presente que simultaneamente já é passado morto. Perde-se a vida anterior. E a anterior, bem entendido, porque sem referências do passado morrem os afectos e os laços sentimentais”. No Junqueira Antiga, um sítio preenchido de memória, o conceito de vidas anteriores ganha ainda mais significado. Quando morrer a última pessoa com memória física de quem éramos, tudo o que sobra são textos, nomes, fotografias de um ser estranho, já sem presente.

Passaportes: Zeferino da Costa Campos (1952, 1960, 1962, 1974)

zeferino60

Zeferino da Costa Campos nasceu em 1934, filho de Serafim da Costa Campos e de Arminda Lopes da Silva Félix. Seguindo os passos do seu irmão Joaquim, Zeferino partiu para o Brasil em 1952, onde foi recebido pelo tio materno Alfredo Lopes da Silva. Nos anos seguintes, Manuel e Júlio juntar-se-iam aos irmãos já instalados em Recife. Ao que sabemos, os restantes irmãos – Marcelino, Alice e Elisa – não chegaram a emigrar para o Brasil. Por cortesia da família, a quem Junqueira Antiga agradece publicamente, apresentamos na página de Zeferino algumas fotos suas e dos irmãos.

 

 

O contínuo

probably_valentin_de_boulogne_-_saint_paul_writing_his_epistles_-_google_art_project

Foram criados os seguintes perfis: Olinda Lopes da Silva, António da Silva Rocha, Manuel Lopes Amorim, Isaura Lopes Moreira.

E actualizados os seguintes: Albina Leituga de Sousa, Maria Gomes de Magalhães, Maria Amélia da Silva Lopes, Beatriz Martins Ferreira da Costa, Fernando Vilarinho da Silva, Felismina Batista de Oliveira, Joaquina Justino Lopes Ribeiro, Marcelino Batista da Rocha, Maria de Lurdes Lopes Moreira, Lino Claudemiro Sousa Carvalho.