António José da Costa Júnior, farmacêutico (F)

Dados biográficos:

Antonio jose costa junior

– farmacêutico

– casou com Edelina Ferreira da Costa [ADP] a 19 de Setembro de 1901

– pai de Cândida Ferreira da Costa Magalhães, Maria Amélia Ferreira da Costa, Maria dos Anjos Ferreira da Costa, Américo Ferreira da Costa, Eduardo Ferreira da Costa, Horácio Ferreira da Costa, António Ferreira da Costa.

– sogro de António Ferreira da Costa Magalhães, Eurídice Portela Ferreira da Costa e de José Ferreira Várzea.

– irmão de Olívia Julia da Costa e do reverendo João José da Costa

– genro de Manuel Ferreira da Costa e de Antónia Ferreira Machado

– faleceu em Abril de 1953

Nota do AmarJunqueira a 28 de Maio de 2010: “Segundo fui informado, pelo farmacêutico Dr Peliteiro, da Póvoa de Varzim , está a ser ponderada uma homenagem a um ilustre junqueirense. Um farmacêutico de rara craveira que se embrenhou nas lutas pela República chegando a ser deputado pelo Partido Republicano da Esquerda Democrática. Foi o fundador da Farmácia Costa, sita junto à capela da Senhora da Graça (Senhora da Graça e Santa Isabel, naquela época…). Promotora da homenagem será a Ordem dos Farmacêuticos que está a envidar esforços nesse sentido. Trata-se de ANTÓNIO JOSÉ DA COSTA JÚNIOR, pai do médico Dr Américo Ferreira da Costa falecido ainda jovem, quando estava prestes a casar-se, o que causou grande consternação naquela época. Ainda hoje o Dr Américo é lembrado pelos mais antigos como figura popular e de coração generoso. Tal como o pai foi carbonário, pertenceu à maçonaria e foi um revolucionário dos quatro costados…
Esse vulto da República, que engrandece a Junqueira, deveria ser alvo de uma homenagem pela Junta de Frequesia, ou até pela câmara municipal. António José da Costa Júnior, um ilustre varão republicano, era daqueles que praticava a ética revolucionária, consta que era um democrata e um republicano praticante… o que hoje em dia é pouco usual… Oxalá a Ordem dos Farmacêuticos concretize esta pretensão e as entidades locais saibam estar à altura do evento. Hoje em dia quando se colocam nos píncaros da fama e em pedestais dourados pessoas sem craveira, apenas pelo facto de ocuparem certos cargos, era pertinente que este vulto de dimensão nacional não caísse no olvido, na Junqueira, sua terra adoptiva. Nasceu em Balazar mas foi na Junqueira que criou raízes e exerceu o seu múnus com a devoção de um verdadeiro sacerdote . “

AntonioJosedaCostaJunioreEdelinaFerreiradaCosta

Arquivo Distrital do Porto

Casamentos – Paróquia da Junqueira – 1901

PT-ADPRT-PRQ-PVCD12-002-0020_m0005.jpg

Notícias completas:

14 de Maio de 1911- Registo Civil – Foram criados os seguintes postos de registo civil: Bagunte, compreendendo as freguesias de Ferreiró, Outeiro e Parada; Junqueira, compreendendo as freguesias de Arcos, Touguinhó e Rio Mau. Para estes dois postos foram respectivamente nomeados ajudantes os srs. Victorino da Costa Araújo e António José da Costa Júnior. in Jornal República

21 de Maio de 1911 Tomaram posse dos lugares de ajudantes dos postos do registo civil da Junqueira e Bagunte, os srs. António José da Costa Júnior e Victorino da Costa Araújo. Esses postos começaram já a funcionar. in Jornal República

4 DE MAIO DE 1913 Pediu a demissão de vereador da Comissão Municipal Administrativa deste concelho o cidadão António José da Costa Júnior, da freguesia da Junqueira. in Jornal República

11 DE SETEMBRO DE 43 Falecimentos – Na freguesia da Junqueira, onde residia, faleceu no último domingo, após prolongado e doloroso sofrimento, a sra. D. Idalina Ferreira da Costa, de 65 anos, casada com o nosso prezado amigo sr. António José da Costa Júnior, considerado farmacêutico naquela freguesia. O seu funeral, que se realizou no dia imediato, foi muito concorrido, nele se incorporando centenas de pessoas de todas as categorias sociais, tanto daquela freguesia como das vizinhas. A chave do féretro foi entregue ao sr. Horácio da Silva Nogueira, conduzindo lindas coroas e bouquets um elevado número de pessoas. A toda a família enlutada, e em especial aquele nosso prezado amigo e assinante, apresenta Renovação sentidas condolências.

5 DE AGOSTO DE 1950 XV Volta a Portugal em Bicicleta (…) Uma “ronda” ao concelho Uma delegação da Comissão Executiva da recepção à Volta a Portugal nesta vila, percorreu no último domingo a maior parte das freguesias do nosso concelho, em missão de propaganda, visitando as casas da especialidade a quem procuraram interessar na concorrência de corredores para a prova que se realiza no sábado, 12 de Agosto, entre ciclistas populares, antecedendo a chegada dos corredores, que está calculada para as 18, 30 h. Em todas elas recebeu a Comissão o mais franco acolhimento, que se traduziu na oferta de prémios e na garantia de angariação de envelopes com dinheiro para os corredores. (…) Na Junqueira, não pôde a Comissão chegar à fala com o sr. Amândio Machado, proprietário da única garagem de bicicletas com que conta a freguesia, mas pode dar-se como certa a sua colaboração. Entretanto, foram recebidos os seguintes prémios: da Farmácia Costa, do sr. António José da Costa Júnior, uma caixa com 12 tubos de creme dentrífico Neodol, um excelente produto que já conquistou o mercado, no valor de 120$00. Do sr. António da Costa Magalhães, com estabelecimento de mercearia, miudezas e todos os materiais de construção, e que ali é conhecida por “Antiga Casa Quelhas”, uma garrafa de Vinho do Porto no valor de 30$00. Do sr. José Quinteira, com loja de fazendas, miudezas, chapéus e grande sortido de calçado, um frasco de perfume no valor de 20$00. (…)

20 DE JANEIRO DE 1951 Junqueira, 17 Telefones – Está em pleno funcionamento a rede telefónica da Junqueira, grande melhoramento para os povos das freguesias da “Faria”, pois em todas elas se encontram instalados telefones públicos e particulares. Apenas temos a lamentar a deficiência dos telefones instalados que, por contínuas avarias, não permitem a sua utilização constante, o que muitas vezes ocasiona prejuízos e transtornos incalculáveis aos seus possuidores. Para a Direcção-Geral dos C. T. T. chamamos a sua atenção, certos de que rapidamente será remediado este estado de coisas. Publicámos a seguir a lista dos telefones da rede da Junqueira e Parada:

1 – Posto Público (em casa do sr. José Quinteira)

2 – Dr. Carlos Pinto Ferreira

3 – Eng. José Ferreira Várzea

4 – Nuno Salgueiro (Quinta do Ral)

5 – D. Olga Pinheiro

6 – João Pacheco T. Rebelo Carvalho

7 – José Gomes Neto (Quinta da Boa-Vista – Casal de Pedro)

8 – Cupertino de Miranda (Ponte D´Ave)

9 – Arnaldo Miranda Guimarães (Ponte D´Ave)

10 – Horácio Nogueira

11 – António F. Costa Magalhães

12 – Dr. Eduardo Campos Costa

13 – António José da Costa Junior

14 – Joaquim Lopes da Silva

15 – Adelino Azevedo Cunha e Pereira

16 – José Lopes da Costa

17 – José Ferreira de Lima, de Rio Mau

18 – Júlio Bento Simões (Ponte D´Este)

19 – Joaquim Ribeiro (Rio Mau)

20 – Mário da Costa Macedo – Touguinhó

21 – Américo Angeiras – Touguinhó

1 de Parada – Dr. Manuel F. Campos

2 – Abílio Guimarães, de Ferreiró

3 – Viação Costa e Lino, Lda., de Parada

4 – Manuel Gonçalves, de Bagunte

5 – Manuel Carneiro Gonçalves, de Outeiro

6 – D. Beatriz Nóbrega

7 – António José da Fonseca, de Ferreiró

18 DE ABRIL DE 1953 Empreza Têxtil da Junqueira, L.da Por escritura de 21 de Novembro de 1947, lavrada a fls. 93 v.º do livro próprio n.º 448 do cartório a cargo do então notário de Vila do Conde bacharel António Maria Pereira Júnior, foi constituída entre António José da Costa Junior, D. Maria dos Anjos Ferreira da Costa, José Quinteira e Dr. Carlos Pinto Ferreira, uma sociedade comercial por quotas de responsabilidade limitada, nos termos seguintes:

1º A sociedade adopta a denominação de Empreza Têxtil da Junqueira, L.da, e fica com a sua sede no lugar da Garrida, freguesia da Junqueira, comarca de Vila do Conde.

2º O seu objecto é a exploração da indústria de manufactura de tecidos de algodão, seda e mistos e seu comércio, podendo de futuro adicionar qualquer outro ramo de indústria ou comércio ou mesmo substituir aquele, com excepção do bancário.

3º A sua duração é por tempo indeterminado e o seu início é do dia 1 do próximo mês de Dezembro.

4º O capital social, já todo realizado, é de 180.000$, representado por quatro quotas, sendo duas de 30.000$ cada uma, dos sócios António José da Costa Junior e D. Maria dos Anjos Ferreira da Costa e duas de 60.000$ cada uma, dos sócios José Quinteira e Dr. Carlos Pinto Ferreira.

5º A cessão de quotas a estranhos fica dependente do consentimento da sociedade, a qual poderá, querendo, amortizar qualquer quota que se pretenda alienar, pagando-a pelo seu valor.

6º Os sócios têm preferência na cessão de quotas a estranhos quando a sociedade não tenha querido fazer a amortização delas.

7º A sociedade será representada, em juízo e fora dele, activa e passivamente, por todos os sócios que ficam sendo gerentes, mas para que fique obrigada será necessário que os respectivos actos sejam assinados pelos sócios António José da Costa Junior, José Quinteira e Dr. Carlos Pinto Ferreira.

8º Os balanços dar-se-ão no dia 31 de Dezembro de cada ano e os lucros líquidos obtidos, depois de retirados 5 por cento para o fundo de reserva legal, serão divididos pelos sócios na proporção das respectivas quotas.

9º As assembleias gerais serão convocadas por meio de cartas registadas, expedidas aos sócios com antecedência de cinco dias, salvo nos casos em que a lei exija outra forma de convocação.

10º Dissolvida a sociedade, proceder-se-ão à liquidação e partilha como se deliberar, salvo se algum sócio quiser ficar com o estabelecimento social, isto é, como todo o activo e passivo da sociedade, caso em que a adjudicação lhe será feita pelo valor em que acordarem. Se todos os sócios pretenderem o estabelecimento, haverá licitação entre eles e será preferido o que mais vantagens oferecer.

11º Nos casos omissos regulação as deliberações da assembleia geral e as disposições legais.

Vila do Conde, 17 de Março de 1953. O Notário, João Filomeno Afonso dos Santos.

Empreza Têxtil da Junqueira, L.da

Por escritura de 7 de Fevereiro de 1953, lavrada na secretaria notarial de Vila do Conde, fl. 79 c.º do livro próprio n.º 484 do cartório a cargo do notário licenciado João Filomeno Afonso dos Santos, foram cedidas pelos sócios António José da Costa Junior e D. Maria dos Anjos Ferreira da Costa, respectivamente aos consócios Dr. Carlos Pinto Ferreira e José Quinteira, as quotas de 30.000$ que cada um deles possuía na sociedade comercial por quotas Empreza Têxtil da Junqueira, L.da, com sede no lugar da Garrida, freguesia da Junqueira, concelho de Vila do Conde.

Vila do Conde, 17 de Março de 1953. O Notário, João Filomeno Afonso dos Santos.

Têxtil da Garrida, Lda.

Por escritura de 7 de Fevereiro de 1953, lavrada na secretaria notarial de Vila do Conde, a fls. 79 v.º do livro próprio n.º 484 do cartório a cargo do notário licenciado João Filomeno Afonso dos Santos, outorgada pelos únicos sócios, José Quinteira e dr. Carlos Pinto Ferreira, da sociedade comercial por quotas Empresa Têxtil da Junqueira, Lda., com sede no lugar da Garrida, da freguesia da Junqueira, do concelho de Vila do Conde, foi modificada a denominação da sociedade, tendo sido adoptada, em vez da anterior, a de Têxtil da Garrida, Lda., e alterado parcialmente o respectivo pacto social, substituindo os artigos 1.0, 4.0 e 7.0, os quais passaram a ter a seguinte redacção:

Artigo 1º A sociedade adopta a denominação de Têxtil da Garrida, Lda., e fica com a sede no lugar da Garrida, da freguesia da Junqueira, do concelho de Vila do Conde.

Artigo 4º O capital social, todo inteiramente realizado em dinheiro, é de 180.000$, representado por duas quotas iguais de 90.000$, uma de cada sócio.

Artigo 7º A gerência da sociedade fica a cargo de ambos os sócios.

Vila do Conde, 17 de Março de 1953. O Notário, João Filomeno Afonso dos Santos.

2 DE MAIO DE 1953 Falecimentos António José da Costa Junior Na freguesia da Junqueira, deste concelho, onde residia, faleceu na penúltima sexta-feira o sr. António José da Costa Junior, farmacêutico, de 75 anos, viúvo da sra. D. Idalina Ferreira da Costa e pai das sras. D. Cândida Ferreira da Costa Várzea, D. Maria Amélia Ferreira da Costa, D. Maria dos Anjos Ferreira da Costa e dos srs. Dr. Américo Ferreira da Costa (já falecido), Eduardo e Horácio Ferreira da Costa, ausentes no Brasil, dr. António Ferreira da Costa, sogro da sr. D. Eurídice Portela Ferreira da Costa e do sr. Eng.º José Ferreira Várzea, irmão da sr. D. Olívia Julia da Costa e do reverendo João José da Costa. O funeral realizou-se no domingo, pelas 11 horas, da residência do extinto para a Capela de Nossa Sra. Da Graça e dali para o cemitério paroquial, onde o corpo do finado ficou inhumado em Jazigo de Família. No préstito fúnebre, incorporou-se elevado número de pessoas de representação social deste concelho, do vizinho, de Famalicão e da cidade do Porto. A chave da urna foi conduzida pelo nosso Director, sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira.

22 DE JANEIRO DE 1955 Horácio Ferreira da Costa Faleceu na cidade do Recife (Brasil), o sr. Horácio Ferreira da Costa, de 43 anos de idade, comerciante, natural da freguesia da Junqueira, deste concelho, filho do sr. António José da Costa Júnior e da sr. D. Idalina Ferreira da Costa (já falecidos). O extinto era irmão das sras. D. Cândida Ferreira da Costa Várzea, D. Maria Amélia Ferreira da Costa e D. Maria dos Anjos Ferreira da Costa e dos senhores Eduardo Ferreira da Costa, ausente no Brasil e dr. António Ferreira da Costa e cunhado da sra. D. Eurícide Portela Ferreira da Costa e do sr. Engenheiro José Ferreira Várzea. Será celebrada missa do 7º dia na próxima 2ª feira, pelas 8 e meia horas, na Igreja Matriz da Junqueira.

11 DE DEZEMBRO DE 1965 Notícias da Junqueira Falecimento Têm, nos últimos meses, desaparecido desta freguesia, pela mão impiedosa da morte, várias pessoas ainda novas e das melhores qualidades morais. Há dias – na semana passada – faleceu mais uma, o sr. Eduardo Ferreira da Costa, de 53 anos de idade, filho do antigo farmacêutico desta freguesia sr. António José da Costa Júnior, que há pouco mais de dois meses tinha chegado de Pernambuco com a consoladora esperança de aqui vir melhorar de uma enfermidade que há algum tempo o vinha preocupando. Porém, ao fim do pouco tempo, nos últimos dias, os seus falecimentos agravaram-se e o nosso estimado conterrâneo e em poucos momentos deu a alma ao criador. Era um grande e considerado comerciante em Pernambuco, onde residia há mais de duas dezenas de anos. O seu funeral foi muito concorrido.

NOTA: ESTE PERFIL PRECISA DE SER REVISTO, POR CONFLITO COM OUTROS NOMES.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s