Felismina Campos Costa Pinto Ferreira (F)

Dados biográficos:

  • filha de José Baptista da Costa e de Guilhermina Ferreira Campos Costa
  • irmã de Emelina Campos Costa e Eduardo Campos Costa
  • casada com Carlos Pinto Ferreira 
  • sogra de Maria da Conceição Fernando Pontes
  • cunhada de António Sampaio de Araújo
  • mãe de EmelinaOrlandoEduardo José e Fernando José da Costa Pinto Ferreira

FelisminaCamposCostaPintoFerreira

Arquivo Distrital do Porto

Passaportes – Livro 64

Referência: PT-ADPRT-AC-GCPRT-J-E-032-3592_m0298.jpg

FelisminaCamposCostaPintoFerreira1FelisminaCamposCostaPintoFerreira1aFelisminaCamposCostaPintoFerreira2FelisminaCamposCostaPintoFerreira2a

Fonte: FamilySearch.org

Notícias completas:

24 DE JUNHO DE 44 (Junqueira, 44) Faleceu na passada segunda-feira, após curta enfermidade, o sr. José Baptista da Costa, presidente da Junta desta freguesia, e antigo vereador da Câmara Municipal. O saudoso extinto, que contava 75 anos de idade, era pai das sras. D. Felismina e D. Emelina Campos Costa e do sr. Eduardo Campos Costa e sogro dos srs. Carlos Pinto Ferreira, digno Delegado de Saúde deste Concelho e estimado director do nosso jornal, e António Sampaio Araújo, distinto médico na Póvoa de Varzim. O seu funeral realizou-se hoje, sendo muito concorrido de pessoas desta freguesia, achando-se também largamente representadas quase todas as freguesias do concelho, e a Póvoa de Varzim. O saimento fúnebre teve lugar às 10 horas, sendo acompanhado por onze eclesiásticos. A chave do caixão foi entregue ao sr. Presidente da Câmara. Ao pano de honra pegaram os srs. Adelino Félix, António Magalhães, Carlos Capela, António C. Azevedo, Elias Cardoso e Joaquim Cerqueira da Costa. De casa até ao cemitério organizaram-se diversos turnos, compostos pelos ex.mos. Srs.: Juiz de Direito, drs. Pereira Júnior e Andrade Ferreira, Bento Amorim, drs. José M. de Sousa Pereira, Serafim Ramos e J. Pacheco Neves, Engenheiro Augusto Machado, Teófilo Bento, dr. Américo Graça, João Dias, António Ribeiro, José Linhares, Bernardino Pinheiro, José Lima, José Magalhães, Américo Fernandes da Silva Madureira, Eduardo Correia, José Laranja, Major Serafim Temudo, dr. Raul Cardoso, Avelino Faria, João Torres, dr. Ramos de Almeida, dr. Albino Dias, Serafim Almeida, António Patrício, M. Guilherme de Faria, Horácio Nogueira, Manoel Baptista da Costa, etc. Muitos “bouquets” e coroas foram entregues a pessoas cujos nomes não nos foi possível obter. O cadáver foi inhumado em jazigo de família. A toda a família enlutada, os nossos sentidos pêsames.

12 DE FEVEREIRO DE 1955 Na Junqueira Inauguração da Cantina Escolar Com grande brilho e com manifesta alegria de toda a sua população, foi inaugurada, no passado dia 27 de Janeiro, a nova Cantina Escolar da Junqueira, com a distribuição da primeira refeição às crianças das Escolas daquela freguesia. A esta inauguração assistiram as sras. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, D. Emelina Campos Costa Sampaio de Araújo; as digníssimas Professoras das Escolas; a menina Maria Emelina da Costa Pinto Ferreira e os srs. Dr. Carlos Pinto Ferreira e Sampaio de Araújo. Foi indescritível a alegria das criancinhas contempladas: nos seus lábios de inocentes desenhava-se um sorriso de satisfação, de aprazimento e de gratidão; é que para elas aquele era um grande dia: habituadas às inclemências e doas rigores debilitantes de insuficiência alimentar, viam, finalmente, solucionado o problema da sua alimentação. Nas outras crianças, não beneficiadas, notava-se a mesma euforia, compartilhando da alegrai das suas companheiras. As pessoas que assistiram à festa gozavam os primeiros efeitos de uma obra de que haviam sido os principais instigadores. De facto, quando sentimos ter sido úteis à humanidade, experimentamos a alegria mais espiritual, mais íntima e mais duradoira. Dispendiou esta primeira refeição a sra. D. Mafalda Gomes Machado, digna esposa do sr. Eng. Augusto Machado, ilustre Director da 1ª Circunscrição Florestal, que tem sido a grande animadora desta obra de beneficência. À bondade e nobreza da sua alma, se devem um firme apoio e uma valiosa ajuda moral e material, ora incitando à continuação e desenvolvimento, ora oferecendo os talheres e mobiliário necessários ao funcionamento da Cantina. É com pessoas assim que uma obra pode ir avante, porque não falta o entusiasmo, o incentivo do desenvolvimento e, o que vale mais que tudo, o amor e a abnegação. Bem hajam, por isso!

4 DE JUNHO DE 1955 Na freguesia da Junqueira Inauguração de uma Biblioteca Escolar No passado dia 22 de Maio, realizou-se na freguesia da Junqueira, deste concelho, perante uma grande assistência, a inauguração de uma Biblioteca, na Escola Feminina daquela freguesia. Presidiu à Sessão o sr. Horácio da Silva Nogueira, digno Presidente da Junta de Freguesia, ladeado pela ex.ma sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, esposa do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente da nossa Câmara, e pela sra. D. Maria Júlia de Mesquita Ramos, Directora da Biblioteca Escolar e da Escola Feminina. Além das individualidades acima citadas, compareceu, também, grande número de pessoas daquela localidade.Falou a activa Directora da Biblioteca, sra. D. Maria Júlia de Mesquita Ramos que, em palavras simples e claras, soube fazer compreender ao bom povo daquela freguesia o alto valor o significado que constitui tal instituição. Referiu-se, em primeiro lugar, às enormes vantagens que a leitura de um bom livro oferece ao homem, como valioso meio de cultura. “É através das páginas dos livros – disse – que o homem adquire conceitos que lhe valorizam a vida. Não lhe bastam as suas faculdades inatas para interpretar e compreender os mistérios que o rodeiam; estes foram desvendados, a pouco e pouco, pela acção laboriosa de Homens que passaram a vida inteira entregues ao estudo e à meditação. É, portanto, na leitura desses livros, que o homem deve ocupar as suas horas de ociosidade”. Em seguida, aconselhou sobre a maneira como se deve ler um livro, mostrando que nada vale ler sem compreender. Finalmente, explicou como funcionará a Biblioteca Escolar, que é destinada, não só às crianças das Escolas, mas também a toda a população daquela freguesia. É a Junqueira a segunda freguesia do nosso concelho a possuir uma Biblioteca e, por conseguinte, é preciso que o povo se saiba aproveitar deste importante melhoramento, para que se incentive e se alastre pelas populações rurais o desejo de cultura que alarga os horizontes do homem, fazendo o sair do seu plano de inferioridade, a que o mundo restrito das suas relações e conhecimentos, o tem relegado.

14 DE DEZEMBRO DE 1957 Junqueira, 9 Casamento – No passado dia 8, consorciaram-se, na nossa Igreja Paroquial, a menina Maria Elisa Rodrigues Campos, desta freguesia com o sr. António Martins da Silva, da vizinha freguesia de Arcos. Paraninfaram o acto o sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira e sua ex.ma esposa, D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira. Finda a cerimónia religiosa, foi oferecido um “copo de água” aos numerosos e selectos convidados. Os nossos sinceros desejos de um lar muito feliz. – C.

22 DE MARÇO DE 1958 Casamento elegante na Junqueira No último dia 15 , consorciaram-se na Igreja Paroquial da freguesia da Junqueira, deste concelho, o sr., Orlando da Costa Pinto Ferreira e a menina Maria da Conceição Fernando Pontes. O noivo, natural daquela freguesia, é filho do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, digno presidente do nosso município e director deste jornal, e a sra. D. Felismina de Campos Costa Pinto Ferreira; e a noiva, natural da vizinha vila, é filha do sr. Joaquim Fernando e da sra. D. Urbana Vieira Pontes. O acto religioso, que começou a celebrar-se por volta das 11, 30 horas, decorreu com brilho e solenidade; enquanto, no arco cruzeiro, o reverendo pároco unia os nubentes pelos laços sagrados do matrimónio, brancas e delicadas pétalas de flores adejavam, indecisas, no espaço, como alvos flocos de neve em serena atmosfera, para depois cairem, de mansinho, sobre eles. Seguiu-se a missa, durante a qual o celebrante lançou a benção sobre os nubentes. Durante toda a cerimónia, ressoaram pelo vasto recinto da Igreja acordes musicais, de violino e de órgão, de um bem escolhido e apropriado programa, tornando o ambiente crespuscular e sombrio do templo, mais propício ainda à meditação e ao recolhimento. No final, o reverendo pároco, num feliz improviso, dissertou sobre as responsabilidades do casamento, lembrando aos noivos a obrigação de cada um para que no lar reine sempre a harmonia e a felicidade. Em seguida, os noivos foram cumprimentados por todos os convidados, não podendo aqueles esconder a sua comoção. Apadrinharam o acto religioso o sr. Bento de Sousa Amorim e sua exma. Esposa, sr. D. Maria Amélia Chambers de Sousa Amorim. Finalmente, os noivos desceram a nave da Igreja em direcção à porta de saída, ao som da marcha nupcial, seguidos de todos os convidados, que caminhavam aos pares. No adro da igreja, lindas raparigas lançavam flores sobre os noivos, enquanto estes pisavam um belo tapete, feito durante o decorrer da cerimónia. Em seguida, noivos e convidados deslocaram-se, em automóveis, para esta vila, formando um extenso cortejo, onde lhes foi servido um magnífico almoço no “Mar à vista”. Enquanto se atravessava a freguesia, ao longo da estrada, raparigas lançavam flores, num gesto de espontânea demonstração de simpatia pelos noivos. Já próximo do fim da freguesia, junto da residência dos pais do noivo, um grupo de raparigas abeirou-se do carro em que os nubentes seguiam e pediu-lhes que descessem para pisarem um multicolor e aprimorado tapete. Acedendo ao pedido, foram saudados por todos, enquanto atravessavam o comprido tapete. Eram quase duas horas da tarde quando começou o almoço, que decorreu num ambiente de franca familiaridade. Por volta das 16 horas, os noivos abandonaram a sala e partiram em viagem de núpcias para o norte do país. Ao novo lar que ora se constituiu, os nossos sinceros e calorosos votos de uma eterna felicidade, onde reine sempre o amor, condição essencial de harmonia conjugal.

7 DE FEVEREIRO DE 1959 Junqueira, 4 Visita Pastoral Na passada 4ª feira, dia 28, engalanou-se esta freguesia para receber, condignamente, Sua ex.ma reverendíssima o sr. Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Braga, D. Francisco Maria da Silva. Às 15 horas em ponto, conforme estava anunciado, chegou ao Cruzeiro Sua Ex.ma reverendíssima, acompanhado do seu fâmulo e do sr. Arcipreste de Vila do Conde. Uma grande multidão de povo o aguardava, com os corações em festa, que se expandiram em vivas entusiastas ao sr. Bispo, à Igreja Católica e ao sr. Arcebispo Primaz. D. Francisco Maria da Silva, com um sorriso de gratidão e simpatia a aflorar aos lábios, lançou a benção sobre todo o povo e depois ouviu palavras de saudação proferidas por uma gentil menina., que no fim lhe entregou, dentro de uma salva de prata, um envelope com uma avultada esmola para o Seminário. Depois de S. Ex. se ter paramentado, seguiu em procissão para a Igreja Paroquial, cujo percurso estava coberto por um rico tapete. Na Igreja, D. Francisco Maria da Silva proferiu breves palavras ao povo, agradecendo a manifestação de que foi alvo, e traçando, em resumo, o fim da sua visita a esta terra. Seguiu-se depois o Crisma, de que foram padrinhos a sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira e o sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, e, no fim, o exame de doutrina às crianças e a visita aos Altares. Findas estas cerimónias, S. ex. tornou a falar ao povo, tendo, novamente, palavras de agradecimento pela maneira carinhosa e festiva como o haviam recebido e revelou as suas impressões colhidas durante esta visita: dirigiu palavras de louvor ao nosso pároco, Pe. Manuel Baptista de Sousa, pelo zêlo com que cuida do seu rebanho e pelo esmero com que apresentou a igreja que lhe confiaram; deu os parabéns às catequistas, que tão bem preparadas tinham as crianças, em catecismo; finalmente, dirigindo-se a todo o povo, disse estar encantado com a gente da Junqueira, que lhe pareceu ser bem cristã. No fim, S. ex. dirigiu-se à Residência Paroquial, onde lhe foi oferecido um fino copo de água. Parabéns ao nosso pároco e a todas as pessoas que contribuiram para o brilho desta festa.

16 DE ABRIL DE 1960 Festas de S. João (…) Entretanto, a Comissão vai solicitando a inscrição de Ranchos. O primeiro a anunciarmos é o da Junqueira que, tão auspiciosamente, se organizou no São João de há seis anos e que, daí para cá, tem marcado uma notável presença como genuíno intérprete do folclore da região e que, no ano passado, teve as honras de participar no Festival Internacional de Santa Marta de Portuzelo. Como nota oportuna – e que só o receio de indiscretamente ferirmos a modéstia de S. Ex.ma nos inibe de alongar – gratamente registamos o nome da Ex.ma sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira que, de maneira mais sensibilizante para a Comissão, com os mais edificantes exemplos de cooperação nas iniciativas locais, com uma dedicação e carinho que comovedoramente agradecemos, tem tido, em vários aspectos, uma acção entusiástica e decisiva que muito nos honra e estimula.

14 DE MAIO DE 1960 Junqueira 9 Casamento elegante No passado dia 7 do corrente, uniram-se pelo santo sacramento do matrimónio, a menina Maria Emelina da Costa Pinto Ferreira, filha do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre presidente da nossa Câmara Municipal e director deste jornal, e da sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, e o sr. João Gomes da Costa Amorim, filho do sr. José da Costa Amorim (já falecido), e da sra. D. Maria Gomes da Silva Casanova. O acto religioso realizou-se pelas 12 horas, na nossa Igreja Paroquial, com a assistência de muitos ilustres convidados, ao qual presidiu o Padre Manuel José Gomes da Costa Amorim, Pároco de Beiriz, e primo do noivo, que proferiu uma brilhante e emotiva alocução para apontar aos noivos o caminho a seguir na nova vida de casados. Celebrou a Santa Missa o pároco desta freguesia. Paraninfaram, por parte da noiva, a sra. D. Emelina Campos Costa de Araújo e o sr. Dr. Manuel Pinto Ferreira; e por parte do noivo, a sra. D. Georgete de Lima Amorim e o sr. António Amorim, primos do noivo. Em seguinda, os noivos e convidados dirigiram-se, em automóvel, para casa dos pais da noiva, onde foi servido um primoroso copo de água. Durante o percurso, os noivos tiveram de se apear várias vezes para pisarem lindos tapetes de flores com que vários grupos de raparigas os homenagearam. Os noivos seguiram em viagem de núpcias para o Sul do País. Aos nubentes, os nossos desejos de muitas felicidades.

16 DE JULHO DE 1960 Ecos do São João (…) Visita das Autoridades Espanholas à Junqueira Na sua “Casa da Junqueira”, o sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira e esposa sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, deram, no sábado 25, uma recepção às autoridades espanholas e ao Grupo de Oviedo. Além desta atenção, que muito sensibilizou os nossos visitantes, tiveram estes oportunidade de admirar, durante o trajecto, alguns dos mais notáveis trechos paisagísticos rurais de Vila do Conde. (…)

3 DE JUNHO DE 1961 Festas de São João (…) Quando, há mais de vinte anos, Viana tomou consciência de que os seus costumes iam perdendo carácter e a Agonia começou a servir de palco para a reposição em uso de uma das mais coloridas indumentárias rurais do Mundo, a meia dúzia de nomes ficou o País devendo esse gritante cartaz de propaganda nacional que o Minho, nesse aspecto, hoje constitui. Felizmente, não foram esquecidos os nomes desses verdadeiros percursores dessa campanha, então quase épica, iniciada a favor do folclore nacional: Pedro Homem de Melo em “A Poesia na Dança e nos Cantares do Povo Português”, a todos recorda, em justa homenagem, desde o humilde “Zé da Rosa”, de Afife, à família ilustre de Couto Viana. Vila do Conde precisava também de alguém que, como Homem de Melo, com alma de poeta, sensibilidade de artista e responsabilidade de etnógrafo, se interessasse pelo que o São João tem apresentado sobre a riqueza dos costumes do concelho, e perpetuasse os nomes daqueles que, nas nossas aldeias, se têm dedicado ao ressurgimento dos nossos valores etnográficos. Esses nomes, então, não apareceriam apenas no correr destas notas apressadas do S. João de cada ano. E quando se falasse na Junqueira e no seu rancho; no rigor do seu trajo e na naturalidade com que o vestem as suas moças; na autenticidade da sua música e na expressão com que a cantam; na desenvoltura das suas danças e no à vontade com que as interpretam; quando se falasse no nome dos que mais se haviam distinguido nesta obra regionalista de ressurgimento de tradições e costumes vilacondenses, surgiria, na Junqueira, o de D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, que, desde o primeiro ano da iniciativa, encarou o alcance desta não só como um motivo de notável interesse para a divulgação do nome da nossa terra, mas principalmente como um valioso contributo para o revigoramento do gosto da gente da aldeia pelas coisas verdadeiramente suas, pelos sãos e castiços costumes que identificam e tornam digno de admiração e tornam digno de admiração e curiosidade o viver e o sentir de um povo. O Rancho da Junqueira voltará de novo este ano ao Festival de São João: esfusiante de mocidade, rico de beleza e vida, impressionante de unidade, caprichoso de amor à aldeia linda que representa, vem-nos trazer pela mão da Juíza das Mordomas do São João deste ano a sua mensagem de alegria irmanada com os outros, em cada qual há também um nome que personifica este empenho bairrista de cada freguesia em participar na Festa Grande do concelho. Falta-nos, porém, o poeta e o etnógrafo que saiba sentir e valorizar toda a riqueza que as aldeias nos têm trazido e que numa justa homenagem a esses obreiros preciosos da divulgação dos nossos costumes, perpetue, ao lado de nomes como o de D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, outro como os que temos procurado relevar nestas notas (…)

28 DE ABRIL DE 1962 Na Junqueira (COM FOTO) Homenagem ao Senhor Presidente da Câmara Municipal, Dr. Carlos Pinto Ferreira Foi com brilho extraordinário que decorreu o almoço há dias realizado nesta freguesia, em homenagem ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente da Câmara Municipal de Vila do Conde, e filho querido desta terra. A Junqueira, esta encantadora freguesia de Vila do Conde, berço do homenageado, quis dar um exemplo de gratidão manifestando a sua ex.a todo o seu reconhecimento e admiração. Reconhecimento, pelo dinamismo e pelas raras qualidades de inteligência e rectidão, postas ao serviço do progresso e prosperidade de Vila do Conde. Admiração, pelas excelsas virtudes de homem de bem, com uma conduta e aprumo inexcedíveis em todos os ramos da sua actividade. Como homem, é o esposo fiel, o pai carinhoso, o amigo dedicado; como médico, é o clínico de coração bondoso que, com extraordinária abnegação, acorre a toda a parte onde há alguém em perigo de vida, onde há um moribundo que precisa de uma palavra de conforto e de esperança, onde há uma dor que é preciso minorar. Como Presidente da Câmara, é o homem público ideal que sacrifica a sua vida em prol do agregado social que dirige, que põe todas as suas faculdades ao serviço do bem comum, que rouba às horas de lazer ao doce convívio do lar, para tratar com carinho dos interesses dos seus munícipes. Foi por tudo isto que o povo da terra natal do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira lhe quis manifestar a estima e o apreço que tem pela sua personalidade. Se, apesar de tudo isto, ainda há quem lhe não reconheça essas virtudes sublimes e essas raras qualidades de homem público, só pode ser uma pessoa mordida pela inveja do alto cargo que ele ocupa. Assistiram ao almoço, que decorreu num ambiente de alegre familiaridade, cerca de 120 pessoas todas da Junqueira. Antes da série de brindes, foi oferecido um artístico ramo de flores à esposa do homenageado, sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, que foi entregue por uma sua encantadora netinha, e o sr. Presidente da Junta desta freguesia entregou ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira uma pasta de couro contendo uma mensagem do povo da Junqueira. Depois, usaram da palavra os srs. Reverendo Pároco desta freguesia; Nuno Vilares Salgueiro, Flávio Freitas Faria e António Augusto Gomes Amorim. Todos enalteceram as qualidades do homenageado. Encerrou a série de brindes o homenageado, que, comovidamente, agradeceu a todos os presentes a homenagem que lhe foi prestada, dizendo não ser merecedor dela porque, se, como médico, lhe chamaram já o “mártir” da Junqueira, parecia-lhe que o sacerdócio da medicina não devia ser encarado de outra maneira. Continuando, disse que na vida administrativa tem procurado fazer valer os direitos a que a sua terra (Vila do Conde) tem jus. Disse ainda que esta homenagem seria o incentivo para que continue no próximo quadriénio a trabalhar mais ardentemente por Vila do Conde e por todos os vilacondenses. – C.

4 DE AGOSTO DE 1962 Da Junqueira Falecimento Às primeiras horas da madrugada do passado dia 29, faleceu a sra. D. Guilhermina Ferreira Campos, de 88 anos de idade, deixando a família mergulhada na mais profunda consternação. A saudosa extinta era casada com o sr. José Baptista da Costa, já falecido; mãe das sras. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira e Emelina Campos Costa de Araújo e do sr. Dr. Eduardo Campos Costa; sogra dos srs. Drs. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente da Câmara Municipal deste concelho, e António Sampaio de Araújo, vice-presidente da Câmara Municipal do concelho vizinho; e avó da sra. D. Maria Emelina da Costa Pinto Ferreira Amorim, ausente no Brasil e casada com o sr. João Gomes da Costa Amorim, da menina Maria Eduarda Costa de Araújo e dos srs. Orlando da Costa Pinto Ferreira, casado com a sra. D. Maria da Conceição Pontes Pinto Ferreira, Fernando José da Costa Pinto Ferreira, Eduardo da Costa Pinto Ferreira e Sérgio da Costa Araújo. Era uma senhora muito estimada por quantos a conheciam, porquanto era possuidora das mais nobres e excelsas virtudes. O amor ao semelhante foi um sentimento que constantemente se revelava em actos de caridade. Na verdade, os mais desventurados, os mais desprotegidos da fortuna, sempre encontraram no coração bondoso da sra. D. Guilhermina o alívio das suas dores; nunca negou uma esmola a quem alguma vez lha pediu; a sua casa, amparo de muitas famílias, todos acolhia com a mais extrema compaixão pelo infortúnio, todos acarinhava num amplexo de amor. Os seus profundos sentimentos religiosos manifestaram-se durante a sua vida numa frequência assídua dos sacramentos e em dádivas pródigas para a conservação e melhoramentos da Igreja Paroquial. O funeral da saudosa extinta, que a todos deixou profunda mágoa, realizou-se no dia seguinte, pelas 10 horas, da sua residência, no lugar da Garrida, para jazigo de família no Cemitério Paroquial. No préstito fúnebre incorporaram-se centenas de pessoas de todas as classes sociais, desde os mais humildes a quem protegeu, até às mais altas individualidades com quem contactou. Este extenso cortejo que a acompanhou até à sua última morada foi a prova eloquente da estima que grangeara no coração de quantos a conheciam. A urna foi conduzida num luxuoso carro fúnebre, atrás do qual seguiam pessoas de família e uma extensa fila de automóveis. A chave da urna foi conduzida pelo neto da falecida, sr. Orlando da Costa Pinto Ferreira. À família enlutada, os nossos mais sentidos pêsames. – C.

19 DE OUTUBRO DE 1963 Junqueira, 12 No dia 19 do mês findo, realizou-se no vetusto Mosteiro de Leça do Bailio o enlace matrimonial do sr. Dr. Eduardo José da Costa Pinto Ferreira, filho do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, digno Presidente da nossa Câmara, e da sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, com a sra. Dra. D. Maria Manuela da Cunha e Silva, do Porto. Findo o acto religioso, foi servido aos convidados um finíssimo copo de água na residência dos pais da noiva. Dada a sólida formação moral que os noivos possuem, é de crer que constituam um lar verdadeiramente feliz, onde o amor e a virtude serão o berço que embalará os seus filhos. Educados no seio de famílias autenticamente cristãs, é natural que conservem e comuniquem aos seus descendentes as virtudes morais tão peculiares em tais ambientes. Aos noivos, que agora concluíram, também, os seus cursos de Medicina, apresentamos os nossos sinceros parabéns, manifestando-lhes os desejos de uma vida conjugal longa e feliz e de uma vida profissional repleta de êxitos.

19 DE OUTUBRO DE 1963 Junqueira, 12 Notícias várias (…) Encontra-se no Recife – Brasil, de visita a sua filha, a sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, esposa do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente do nosso município.

16 DE NOVEMBRO DE 1963 Regresso Por via aérea, regressou no último sábado a sua casa, na freguesia da Junqueira, a sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, dedicada esposa do nosso prezado director e Presidente da Câmara, sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, que se encontrava na cidade do Recife – Brasil, de visita a sua filha.

8 DE AGOSTO DE 1964 Junqueira, 31 Junqueira – Espinheira Sendo, embora, das mais populosas e progressivas freguesias de Vila do Conde, é, no entanto, sobretudo pelas suas belezas naturais que S. Simão da Junqueira se distingue. É cercada por dois rios – o Este e o Ave – que a cingem num terno e suave abraço e a orlam, qual moldura de prata da mais bela pintura do Divino Artista. É no cenário maravilhoso das margens destes dois rios, que nós encontrámos os lugares mais aprazíveis para passar uns dias de descanso, onde o corpo pode repousar serenamente, enquanto o espírito se recreia no meio de uma paisagem de sonho. São precisamente estas belezas naturais que chamam a S. Simão muitos turistas, sobretudo aos domingos. Um dos lugares mais aprazíveis e típicos desta freguesia e, consequentemente, dos mais frequentados, é, sem dúvida, a Espinheira, na margem direita do Ave e quase no extremo ocidental de S. Simão, já muito próximo de Touguinhó. O rumorejar constante das águas prateadas do Ave, que galgam afoitamente o açude que lhes barra a passagem e se precipitam da altura de alguns metros; o seu gracioso colear por entre maciços de verdura; as vetustas azenhas das duas margens; o chiar cadenciado e característico da célebre “roda grande” que se move lentamente, elevando a água que vai fertilizar e verdecer viçoso brejo, tudo isto, enfim, fá ao local um bucolismo encantador. Foi, precisamente, neste lugar de tanta beleza, que se realizaram, ultimamente, dois acontecimentos importantes – o Almoço Regional oferecido aos participantes do Congresso Internacional de Estomatologia, realizado no Porto e o 1º Grande Concurso Internacional de Pesca do Rio do Norte de Portugal. Ambos se realizaram no Solar da Quinta da Espinheira, transformado assim em “sala de visitas” de S. Simão da Junqueira. Justo é salientar a gentileza dos seus proprietários, a ex.ma sra. D. Olga Elisa de Carvalho Pinheiro Salgueiro e o sr. Nuno Villares Salgueiro, que tão atenciosamente cederam a sua casa. Outra coisa, aliás, não era de esperar daqueles que tantas provas têm dado de amor e carinho por S. Simão, apesar de cá não terem nascido. Na verdade, o sr. Nuno Salgueiro e sua Esposa estão sempre prontos a colaborar, desde que se trate do bem desta freguesia e do seu povo, compartilhando das suas alegrias e tristezas. Ao almoço, oferecido aos Congressistas pela Câmara Municipal, que se realizou no dia 24 de Junho findo, compareceram mais de 400 pessoas, todas levando a melhor das impressões, que do local, quer do banquete, que estava delicioso e cuja preparação esteve a cargo de um grupo de Senhoras, à frente das quais se encontrava a sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, digníssima esposa do sr. Presidente da Câmara. A todos os que contribuíram para o sucesso desta festa, os nossos sinceros parabéns. ———————————————- No dia 5 deste mês, outro acontecimento veio dar, uma vez mais, vida e animação à Espinheira. Foi este de carácter desportivo, o 1º Grande Concurso Internacional de Pesca do Rio do Norte de Portugal, organizado pelo Clube Desportivo da Póvoa. No dia anterior ao Concurso, foi servido, também na Quinta da Espinheira, uma merenda regional, oferecida aos participantes das equipas estrangeiras e aos delegados dos clubes nacionais concorrentes. Cerca de 250 foram os competidores, os quais pescaram boa quantidade de peixe e de bom tamanho. Foi vencedor deste Concurso o sr. João António Ruivo, do Desportivo de Torres Novas, com 3553 pontos. Das Senhoras, saiu vencedora a sra. D. Josina Sampaio Castro, do F. C. do Porto, com 745 pontos. Na categoria de Juniores, ganhou o menino Luís Américo Rafael, do Invicta, com 619 pontos. Por clubes, venceu o clube organizador, com 9372 pontos e por equipas ganhou a equipa A do mesmo clube, com 7962 pontos. Certos de que o local a todos agradou e de que o Rio Ave tem possibilidades desportivas desta natureza, esperamos que mais concursos de pesca aqui se venham a realizar, podendo os clubes organizadores contar sempre com a boa-vontade e a dedicação do povo desta freguesia. Ao “Desportivo”, os nossos parabéns pela boa organização e êxito do Com curso e o nosso profundo reconhecimento por ter escolhido a nossa terra para competição desportiva de tal importância. – C.

28 DE MAIO DE 1966 A população da Junqueira Homenageou um dos seus mais ilustres filhos – o Dr. Médico distinto, Director do nosso jornal e, até há pouco, Presidente da Edilidade Vilacondense No passado domingo, a nossa progressiva freguesia de S. Simão da Junqueira prestou homenagem a um dos seus filhos mais ilustres, o Dr. Carlos Pinto Ferreira, estimado Director deste semanário, que durante doze anos foi Presidente da nossa Edilidade. Querido das gentes da sua terra, querido de todos os vilacondenses, o dr. Pinto Ferreira viu, no domingo, à sua volta, todos os seus amigos, todos os seus conterrâneos, que ali foram afirmar, com as suas presenças, o respeito e a amizade que ele lhes merece. O Dr. Pinto Ferreira foi alvo de mais uma homenagem. O cidadão prestante, o médico ilustre, o homem bom, teve a rodeá-lo, no mesmo braço, todos os seus amigos junqueirenses. Afirmação de apreço, que a nós, que neste jornal trabalhamos, enche de orgulho. Pelas 11, 30 h. da manhã e na antiga Capelinha da Senhora da Graça, foi rezada Missa de Acção de Graças, sendo celebrante o Reverendo Padre Huberto Van Loo, da Congregação dos Padres Monfortinos, a que assistiram muitas pessoas, que enchiam por completo o pequeno Templo. Após a missa, teve lugar um almoço de homenagem, em Salão gentilmente cedido pelos activos junqueirenses A. Ferreira, e Irmão, vistosamente decorado com festões e lençoes de lavradeira. Presidiu o homenageado, que dava a esquerda aos srs. Bento Amorim, Presidente da Comissão Concelhia da U. N.; Dr. José da Silva Ramos, Presidente da nossa Câmara; D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira; Nuno Villares Salgueiro; D. Maria Júlia Ramos; José Fernandes Campos, Regedor; D. Rita Pinto Ferreira e Abílio F. Costa; e a direita à sra. D. Alice da Silva Ramos; Pe. Manuel Baptista de Sousa; D. Olga Pinheiro Salgueiro; António da Costa Faria, Presidente da Junta; D. Maria de Azevedo Gomes Amorim e António Ferreira de Araújo. Junto à Mesa de Honra, tomaram lugar a família do homenageado, convidados, entre os quais muitas senhoras, e, indistintamente, cerca de 200 pessoas. Ao champanhe, iniciou a série de discursos o sr. Presidente da Câmara, Dr. José da Silva Ramos, que começou por dizer que “das homenagens prestadas ao Dr. Pinto Ferreira, esta é a que mais deve dizer ao seu coração, por ser prestada por gente que o conhece de perto e sabe das suas qualidades de homem bom e amigo. Mais do que ninguém, eles podem dar a esta homenagem o cunho de uma perfeita manifestação de amizade”. Mais adiante, disse: “E eu, sinto-me francamente bem dentro desta casa, desta animação, porque também me sinto preso por uma simpatia à Junqueira, de que tantas vezes tenho recebido provas de amizade, que não posso, de maneira alguma, considerar-me um estranho nesta terra. aqui passei uns anos das minhas férias, aqui vim casar, aqui criei um grupo de amigos, tantos e tão bons que me sinto junqueirense de coração e como tal estou aqui a prestar-lhe esta homenagem de amizade, de reconhecimento e de admiração”. E, a terminar, afirmou: “Faço-o com a melhor da minha sinceridade e creia que é com ela que lhe desejo a melhor saúde, que consome generosamente em defesa dos outros, e aquelas prosperidades pessoais de que é bem digno”. Seguiu-se no uso da palavra, o Pároco da Junqueira, Pe. Baptista de Sousa, que em nome dos seus paroquianos, disse da razão daquela festa. Depois de agradecer a comparência dos junqueirenses aquela manifestação, recordou outra que o Concelho havia prestado ao Dr. Pinto Ferreira. “Foi por gratidão para com V. Ex.ª, que o Concelho lhe prestou homenagem em Vila do Conde, conforme é do conhecimento geral. A essa homenagem não poderíamos estar todos. Sem partidarismos e sem malquerença alguma, nós preferimos, então, fazer-lhe uma homenagem, de todos os junqueirenses, na terra da Junqueira. Aqui estamos, portanto, a prestar-lhe essa homenagem”. E, a terminar: “Segundo disseram os jornais, a quando da grandiosa manifestação em Vila do Conde, V. Exª só fez bem, só espalhou o bem. Interpretando os votos de todos os vilacondenses, eu bebo à saúde de V. Exª, para que continue, na sua nobre profissão, a espalhar esse bem”. Falou, a seguir, o sr. Dr. António Augusto Gomes Amorim que começou por historiar o que foi a acção do sr. Dr. Pinto Ferreira dentro da nossa Câmara, dos seus anseios e sacrifícios, dizendo, a certa altura: “Não admira, pois, que Vila do Conde lhe tivesse prestado uma homenagem retumbante, quando deixou, por imposição da Lei, o cargo de Presidente da Câmara. Mas não é V. Exª apenas o homem público que sacrifica a sua vida em prol do agregado social que dirige e representa. Como médico, é também o clínico incansável que acorre a toda a parte, onde há uma dor que é preciso minorar, onde há um condenado à morte a quem é preciso levar uma palavra de esperança. Como homem, em face da sociedade, é V. Exª o amigo dedicado, sempre pronto a servir o próximo. é para nós, portanto, sr. Dr. Pinto Ferreira, uma grande honra senti-lo no número dos junqueirenses. V. Exª ilustra a sua terra e são os homens que engrandecem uma terra e não a terra que engrandece os homens. Termino as minhas palavras, formulando o veemente desejo de que Deus lhe conceda ainda muitos anos de vida e saúde para que possa gozar no seio da sua família o descanso que nunca teve durante estes 12 anos de trabalho esgotante da sua terra”. Seguiu-se, no uso da palavra, o sr. Bento Amorim, que disse: “A minha provecta idade, que é séria, só fala a verdade e V. Ex.as sabem que é assim. Por isso quero dizer que sendo convidado para assistir à vossa festa, convite que me desvaneceu, vim com todo o prazer, para mais uma vez convier com os senhores da Junqueira, fidalgos e gente séria, que quiseram homenagear em festa íntima o seu médico e ilustre conterrâneo, Dr. Carlos Pinto Ferreira, que por ter deixado a presidência da nossa Câmara Municipal foi ainda, há bem pouco, homenageado com toda a dignidade pelo nosso concelho. É feliz o Dr. Carlos Pinto Ferreira. É Feliz por ver que lhe são gratos os seus conterrâneos. E essa gratidão, porque não dizer, toca-me, comove-me. Mas são gratos, porquê? Porque V. Ex.as são justos e o Dr. Pinto Ferreira merece. Ouvi dizer ainda há pouco que o Dr. Pinto Ferreira serviu a Nação durante doze anos. Não. Serve-a há mais de trinta! E quero aqui dizer, e com honra o digo, que sempre o encontrei a servir com todo o entusiasmo e a maior lealdade. E a lealdade dos homens, minhas Senhoras e meus Senhores, é rara. Eu, naturalmente, também aqui estou pela muita amizade que me liga ao homenageado, amizade de todos conhecida. E também o que mais exalta e se salienta nesta amizade, é uma lealdade profunda e quase sem limites. Pode haver grandes e duradouras amizades, mas lealdade sincera que dura trinta e sete anos, é muito, muitíssimo rara. Por isso, calculem o quanto me é grato estar entre V. Ex.as e pelo motivo por que estamos reunidos. Associando-me, pois, de todo o coração a esta íntima homenagem, eu brindo, sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, pela sua saúde e de sua Ex.ma Esposa, e que Deus lhe dê, com muitas prosperidades e alegrias, muitos e bons anos de vida, para bem de todos nós”. Em nome da Comissão Organizadora daquela festa de homenagem, falou, depois, o sr. Nuno Salgueiro, que proferiu as seguintes palavras: “A Comissão organizadora desta, como se vê, tão sincera e sentida homenagem ao sr. Dr. Pinto Ferreira e, paralelamente também, à Sra. D. Felismina, para nós todos a Sra. D. Mina, que sempre, com exemplar dedicação e eficiência, o acompanha, quis dar-me a honra de aqui a representar. Peço licença para tratar o querido casal homenageado com esta familiaridade. Encontramo-nos numa autêntica festa de família, e é assim que entre todos os seus simpáticos conterrâneos eles são conhecidos e assim que, certamente, querem continuar a ser carinhosamente tratados. Mas abrimos, com muito gosto de todos, quatro excepções e quisemos ter aqui connosco o Ex.mo Sr. Dr. José da Silva Ramos, distinto sucessor do sr. Dr. Pinto Ferreira na presidência da Câmara de Vila do Conde e grande amigo desta freguesia, conde até, veio casar, e o Ex.mo Bento de Sousa Amorim, dedicado amigo de todo o concelho, que, se todos procuram nas horas de aflição e sempre encontram de braços protectoramente abertos, também queremos junto de nós nas horas de alegria e gratidão. Pedimos para que Suas Ex.as se fizessem acompanhar por suas Ex.mas Esposas e, assim, temos a honra da presença da Senhora do Sr. Dr. Silva Ramos, tendo sido privados da honra da assistência da Senhora do Sr. Bento Amorim, infelizmente por motivos de saúde. Ao sr. Dr. Pinto Ferreira, e a sua Ex.ma Esposa, queremos deixar aqui bem marcado o nosso agradecimento por terem permitido que se realizasse esta manifestação de admiração e reconhecimento. A Comissão organizadora quer, ainda, agradecer ao Povo da Junqueira, a maneira como, por todas as formas, colaborou e correspondeu às suas propostas. A razão e justiça desta festa de homenagem, é bem compreendida e sentida por todos quantos estão aqui reunidos. Resta-me, por isso, pedir ao nosso querido homenageado que aceite esta lembrança, que estes seus amigos, e ainda alguns, impossibilitados de aqui estar presentes, lhe querem oferecer para guardar como recordação da amizade, gratidão e admiração de todos”. Uma bela moçoila, em traje de festa, ofereceu, então, ao Dr. Pinto Ferreira, um artístico tabuleiro em prata, com um valioso serviço de porcelana; e as meninas Maria Gabriela e Maria Carla, netas do homenageado, ofertaram às Ex.mas Sras. D. Alice da Silva Ramos e D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, dois lindos ramos de flores. Visivelmente emocionado, levantou-se, então, o homenageado, sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira que disse o seguinte: “ As palavras imerecidas que me dirigistes, são o reflexo do sentir do vosso coração magnânimo, sempre dado à realização de obras que marquem a sua passagem pela Terra. Para mim, esta festa, será mais ainda uma festa de confraternização, de unidade, que mostre, que todos juntos, de mãos dadas, sem olhar a retaliações e malquerenças, caminhando em frente, podemos contribuir para o engrandecimento da nossa Terra – de Vila do Conde. E foi assim, com a ajuda de todos, que eu pude, durante 12 anos, superando intempéries, mas com os olhos no futuro, estar à frente dos seus destinos. Na imensidade do tempo, isto é uma gota de água, que corre lentamente, mas que deixa bem marcado, ao alto, o que planeamos e tão avaramente quisemos realizar, para bem da comunidade. Alguma coisa se fez. Porém, muito também ficou por fazer. Espero que um dia os nossos legítimos anseios sejam uma realidade, a mostrar aos nossos descendentes o quanto vale uma vontade firme e persistente de bem querer. Quiseram dar-nos a honra da sua presença, pessoas muito ilustres da nossa Terra – os ex.mos srs. Bento Amorim e Dr. José Ramos, que comandam os destinos de Vila do Conde e sobejamente conhecidos de todos nós pelas suas altas qualidades de inteligência, de trabalho e amor à Terra que os viu nascer. Outras, que embora não sendo de cá, estão radicadas a esta Terra tão antiga e tão cheia de tradições, a quem devo muita amizade. A todos desejo testemunhar a minha gratidão e sinceros agradecimentos. Para a Comissão organizadora desta festa, para todos os meus amigos e conterrâneos, aqui presentes ou que de qualquer forma para ela contribuíram, sem distinção a todos agradeço com um abraço, que deixará em cada um – um muito obrigado – muito sentido e muito do coração”. ———————————————–Notas – A Comissão Organizadora da Festa de Homenagem ao sr. Dr. C. Pinto Ferreira era constituída pelos srs.: Pe. Manuel Baptista de Sousa, pároco da freguesia: Nuno Vilares Salgueiro, Dr. António A. Gomes de Amorim, Dr. Eduardo Campos Costa, José Fernandes Campos, Ernesto Cardoso de Oliveira, António Araújo Ramos, António da Costa Faria, Abílio Ferreira da Costa, António Ferreira de Araújo, José Quinteira, Bento Correia, Manuel Lopes Curval e António Alves. Renovação agradece a gentileza do convite e todas as atenções dispensadas ao seu enviado especial.

17 DE SETEMBRO DE 1966 Falecimentos D. Maria Pinto de Lima Ferreira Na sua casa da Senhora da Graça, em S. Simão da Junqueira, deste concelho, faleceu, no passado dia 11, a sra. D. Maria Pinto de Lima Ferreira, de 86 anos, proprietária, viúva do saudoso Junqueirense Manuel Lopes Ferreira. A extinta, que pelos seus dotes de carácter, conquistara gerais simpatias de toda a gente daquela freguesia, era Mãe extremosa das sras. D. Ana Pinto Ferreira Quinteira, D. Deolinda Pinto Ferreira de Oliveira e dos srs. Dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Director deste semanário, e dr. Manuel Pinto Ferreira, ; sogra das sras. D. Felismina de Campos Costa Pinto Ferreira e D. Corina Moreira Pinto Ferreira e dos srs. Ernesto Cardoso de Oliveira e José Quinteira; avó da sra. D. Maria Emelina Campos Ferreira Amorim (ausente no Brasil), do sr. Eng. Orlando Campos Pinto Ferreira, Drs. Fernando José e Eduardo José Pinto Ferreira; e dos estudantes universitários Manuel Bento, José Luiz, Rui Moreira Pinto Ferreira e José César Pinto Ferreira de Oliveira. O seu funeral, que teve lugar no dia seguinte, constituiu uma grandiosa manifestação de pesar, nele se incorporando centenas de pessoas de todas as condições sociais quer desta vila, quer dos concelhos limítrofes, e ainda da cidade do Porto. De casa para o cemitério, efectuaram-se dois turnos, sendo a chave da urna entregue a seu neto, sr. Eng. Orlando Pinto Ferreira. Renovação apresenta a toda a família enlutada, muito especialmente ao seu estimado Director, sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, as suas mais sentidas condolências.

26 DE JULHO DE 1969 Fazem anos (…) No dia 1 de Agosto, (…) D. Felismina Campos Costa, Junqueira (…)

20 DE DEZEMBRO DE 1969 D. Rita Pinto Ferreira No passado dia 12 e na sua residência em S. Simão da Junqueira, faleceu com a idade de 74 anos, a sr. D. Rita Pinto Ferreira, solteira e natural daquela freguesia. A saudosa extinta, pessoa muito estimada pelos seus dotes de carácter e benemerência, era tia do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, estimado Director deste semanário, casado com a sra. D. Guilhermina [SIC] Campos Pinto Ferreira: Dr. Manuel Pinto Ferreira, casado com a sr. D. Corina de Sousa Moreira Pinto Ferreira; D. Deolinda Pinto Ferreira, casada com o sr. Ernesto Cardoso; D. Ana Pinto Ferreira, casada com o sr. José Quinteira. O funeral, que constituiu uma grande manifestação de pesar, teve lugar no dia seguinte. Após missa de corpo presente, o corpo da extinta ficou depositado em jazigo de família. A toda a família enlutada e em especial ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, as nossas condolências.

29 DE JULHO DE 1972 Aniversários (…) Dia 1 de Agosto, as sras. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, da Junqueira. (…)

23 DE DEZEMBRO DE 1972 Falecimento Dr. Manuel Pinto Ferreira Na penúltima terça-feira, foi a enterrar no cemitério paroquial da Junqueira, terra da sua naturalidade, o sr. Dr. Manuel Pinto Ferreira que na sua residência à rua de Luis Woodhouse, na cidade do Porto, falecera no dia anterior. O saudoso extinto, que pelos seus dotes de carácter e bondade conquistara inúmeras simpatias, era casado com a sr. D. Corina de Sousa Moreira Pinto Ferreira; pai da sra. D. Maria Manuela de Sousa Pinto Ferreira e dos srs. Dr. Manuel Bento de Sousa Pinto Ferreira, José Luís de Sousa Pinto Ferreira e Rui de Sousa Pinto Ferreira; irmão das sras. D. Deolinda Pinto Ferreira de Oliveira, D. Ana Pinto Ferreira Quinteira e do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, nosso estimado director; cunhado das sras. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, Carmem de Sousa Moreira de Castro e Maria Humberta Carmona Gonçalves Moreira, e dos srs. Professor Doutor Artur Anselmo de Castro, Dr. Carlos Domingues Moreira, Ernesto Cardoso de Oliveira e José Quinteira. O funeral saiu da igreja das Antas, após missa de corpo presente, para S. Simão da Junqueira, e ali, depois dos responsos na capela de Nossa Senhora da Graça, foi a urna transladada com grande acompanhamento de pessoas de todas as categorias sociais, desta vila, Porto, Vila Verde, Terras do Bouro e Famalicão, para jazigo de família. – O sr. Dr. Manuel Pinto Ferreira, formou-se em Direito na Universidade de Coimbra, vindo abrir banca nesta vila, na rua do Lidador. Pouco tempo depois, foi nomeado notário em Terras do Bouro, tendo-lhe sido conferida a posse em Vila Verde, no mesmo distrito. Anos depois, foi nomeado notário em Vila Nova de Famalicão, de onde transitou para o 6º Cartório Notarial do Porto. Foi, com o sr. Dr. Pinto Coelho, redactor do novo Código do Notariado. A doença que o vinha importunando, tinha-o afastado há alguns meses das suas funções. A destacada posição que alcançara, em nada o modificou. Foi durante a sua vida – morreu com sessenta e sete anos incompletos – extremamente bondoso e simples, qualidades que aliava ao mais fino trato. Por isso a sua morte foi muito sentida nesta vila, onde contava, por amigos, todos os vilacondenses. À família enlutada, envia Renovação sentidos pêsames.

28 DE JULHO DE 1973 Aniversários (…) No dia 1 de Agosto, D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, da Junqueira (…)

26 DE JULHO DE 1975 Aniversários (…) No dia 1 de Agosto, sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, da Junqueira; (…)

29 DE JULHO DE 1977 Aniversários (…) No dia 1 de Agosto, Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, da Junqueira. (…)

27 DE JULHO Aniversários (…) No dia 1 de Agosto, Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, da Junqueira; (…)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s