Flávio de Freitas Faria (F)

Dados biográficos:

  • filho de Amadeu Ferreira da Costa Faria e de Eliza Ramos de Freitas Faria
  • irmão de Fernanda Faria Cunha e Pereira
  • cunhado de Adelino de Azevedo Cunha e Pereira
  • sobrinho de Amélia Ferreira da Costa Monteiro e de Elizário Monteiro; e de Albertina da Costa Faria
  • neto de Manuel da Costa Faria e de Emília Ferreira de Sousa Faria
  • casado com Dulce da Costa Fernandes Faria
  • pai de Flávio Fernandes de Freitas Faria [ADP] e de Dulce Flávia Fernandes de Freitas Faria [ADP]
  • emigrante no Brasil
  • antigo proprietário da Quinta de Casal Coutinho

 

FlaviodeFreitasFaria

Arquivo Distrital do Porto

Registo de Passaportes – Livro 85

Referência: PT-ADPRT-AC-GCPRT-J-E-032-3613_m0211.jpg

Notícias completas:

15 DE JANEIRO DE 1949 Junqueira, 12 Em Lisboa, onde há anos tinha fixado residência, faleceu há dias a sra. D. Amélia Ferreira da Costa Monteiro, viúva do coronel-médico sr. Dr. Elizário Monteiro.
A veneranda extinta, que era possuidora das mais excelsas qualidades de carácter e de coração, era natural desta freguesia, sendo filha do antigo e prestigioso médico nosso conterrâneo sr. Dr. Manuel da Costa Faria e da sra. D. Emília Ferreira de Sousa Faria.
Era mãe do sr. Dr. Manuel Cândido de Faria Monteiro, capitão-médico no Algarve e do sr. Engenheiro Elizário de Faria Monteiro, residente em Lisboa; irmã do sr. Amadeu Ferreira da Costa Faria, aqui proprietário, e da sra. D. Albertina da Costa Faria, residente no Porto; e tia da sra. D. Suzana de Lima Costa e do sr. Manuel Costa, este industrial na Trofa; e dos srs. Flávio Freitas Faria, D. Fernanda Faria Cunha e Pereira e Adelino de Azevedo Cunha e Pereira, sócio da empresa de Viação de Parada, todos desta freguesia.
A toda a família em luto, os nossos sentidos pêsames.

28 DE OUTUBRO DE 1950 Junqueira, 24 Realizou-se no passado dia 15, no edifício da Escola Masculina, a eleição da Junta de Freguesia para servir no quadriénio de 1951 a 1954. O acto eleitoral, que decorreu num ambiente de entusiasmo e expectativa, visto terem sido apresentadas ao sufrágio duas listas, foi presidido pelo sr. Dr. Eduardo Campos Costa, tendo como substituto o sr. Flávio de Freitas Faria, que orientou os trabalhos eleitorais dentro da maior ordem e imparcialidade. Depois de encerrada a votação, procedeu-se à contagem dos votantes, que foi de 177, cabendo à lista A, composta pelos srs. Dr. Carlos Pinto Ferreira, Horácio da Silva Nogueira e Joaquim Lopes da Silva, como efectivos e Amadeu Ferreira da Costa Faria, José Ferreira Amorim e Joaquim Gonçalves de Sá, como substitutos, 148 votos e à lista B – 29 votos. Assim, no próximo quadriénio, ficam à frente dos destinos da nossa freguesia pessoas de quem muito temos a esperar, certos da vontade de que todos se encontram empenhados em bem servir.

27 DE MARÇO DE 1954 – COM FOTO!!! A Junqueira em festa para saudar o Dr. Carlos Pinto Ferreira S. Simão da Junqueira, uma das mais aprazíveis e prósperas freguesias do nosso concelho, prestou sentida e carinhosa homenagem ao dr. Carlos Pinto Ferreira, no passado domingo, com um banquete de confraternização, solenizando festivamente a sua posse na Presidência do nosso município. Filho dilecto e ilustre daquela freguesia, o dr. Carlos Pinto Ferreira tem afirmado, desde longa data, na defesa dos interesses da sua terra e no exercício filantrópico da sua profissão, uma acção notável de progresso e de benemerência, cujos benefícios os seus conterrâneos reconhecem, sem excepção, e vêm retribuindo com solenes manifestações de apreço, de respeito e de amizade. “Só não se herda o esforço, que é o que faz o homem verdadeiramente grande” e constitui saliência dominante da existência de cada um, sejam quais forem os signos da fortuna, inclementes na desventura ou indulgentes na prosperidade, que iluminam o reino da Terra de um Ideal comum à vida de todos os homens e é, acima de tudo e de todas as aparências convencionais da sociedade, a conquista do Bem. Volvidos os anos ditosos e descuidados da mocidade do Dr. Carlos Pinto, a sua terra assistiu ao desabrochar do seu carácter, temperado no esforço tenaz e persistente que impôs à sua vontade para atingir essa suprema finalidade da vida e manter intactas, no seu coração, todas as virtudes edificantes que irradiam da sua conduta particular e da sua actividade pública. Com o decorrer do tempo, foram-se assinalando os exemplos do seu trabalho e da sua dignidade, os actos exuberantes da sua bondade, o acolhimento afável e cordial às pretensões da sua Terra e dos seus amigos, a todas as solicitações compensando, com igual solicitude, os favores da sua competência profissional e da sua influência prestigiosa na política local. E a roda das suas amizades foi aumentando, não apenas em número, mas principalmente em dedicações sinceras e espontâneas que se apressaram em testemunhar-lhe, sempre que as circunstâncias o exigiam, a sua gratidão, o seu reconhecimento, a sua calorosa simpatia, e aclamar, sem dissonâncias e sem restrições, a sua presença na vanguarda das iniciativas em prol da laboriosa freguesia da Junqueira. Não só ali, como em outras freguesias circunvizinhas, os efeitos prestimosos da sua acção se têm feito sentir com geral agrado e aplauso unânime, alargando o âmbito da sua interferência ao progresso daquela região concelhia. Em cada porta um amigo e em cada amigo um admirador ferveroso dos magnânimos sentimentos que exomam o seu carácter, todos encontram no dr. Pinto Ferreira, em horas graves, no seu coração e na sua inteligência, um conforto afectuoso para os revezes e as contrariedades da vida, um apaziguador sensato e prudente para compôr discórdias, um conselheiro persuasivo e tolerante para evitar atritos e esclarecer equívocos. Não podem, porém, os homens, nas suas relações públicas, imunizar o seu comportamento, por mais límpidas e puras que sejam as suas intenções, das emulações despeitadas e das invejas intransigentes que provocam ingratidões desabridas e ressentimentos rancorosos na presunção de deturpar o valor dos méritos alheios. Mas a manifestação de domingo, que reuniu à volta do dr. Pinto Ferreira tantos e tão numerosos amigos, prova indiscutivelmente a nobreza da sua figura de homem, de médico e de político.

– O banquete que reuniu aproximadamente 100 convivas, realizou-se, cerca das 21 horas, no elegante palacete do sr. Randolfo Pinto Ferreira, tio do homenageado e um dos mais conceituados membros da colónia portuguesa do Recife (Brasil). Meia hora antes, deu entrada no largo fronteiro, que se encontrava vistosamente engalanado e atapetado caprichosamente, por uma rica passadeira de flores, o dr. Pinto Ferreira, que se fazia acompanhar pelo sr. Bento Amorim, ilustre Presidente da Comissão Concelhia da União Nacional, sendo entusiasticamente saudados pela enorme multidão que ali os guardava. Após os cumprimentos o jantar, primoriosamente confeccionados, foi imediatamente servido, e decorreu num ambiente da mais franca intimidade e de uma transbordante alegria. Aos brindes, falou em primeiro lugar o sr. Horácio da Silva Nogueira, presidente da Junta de Freguesia da Junqueira, e uma das figuras mais consideradas da Lavoura do nosso concelho. Referiu-se, em termos enternecidos, ao dr. Pinto Ferreira, que conhece desde criança, diz, e cuja amizade muito o desvanece. Na rústica sinceridade das suas palavras entoa, alterada pela comoção, a justiça daquela homenagem e o significado sincero que a reveste. E não é ao Dr. Pinto Ferreira, afirma, a quem deve dirigir os parabéns, mas à sua freguesia, que vê um dos seus filhos mais queridos e estimados investido em tão alto cargo. Bento de Amorim, num brilhante improviso, põe em relevo as qualidades morais do dr. Pinto Ferreira, de quem fez um caloroso elogio. Tem recebido dele, acentua com vigor, lições de lealdade e de amizade que não esquece e assegura-lhe o incondicional apoio da sua confiança e do seu prestígio. Nenhum homem, talvez, diz Bento Amorim, “conhece tão bem como eu, os limites desse generoso concelho de Vila do Conde”, cuja integridade é um encargo sagrado que defenderá sempre com intransigente veemência. E terminou, bebendo pelas prosperidades do dr. Pinto Ferreira no desempenho da sua honrosa missão. Em seguida, o dr. José Ferreira exprime o seu contentamento, como vilacondense, pelo acerto da escolha, designando as dificuldades do cargo, que conhece por experiência própria e confirma as suas esperanças no talento e na capacidade de trabalho do novo Presidente da Câmara para vender os escolhos que surjam a impedir o êxito da sua tarefa. E com a elegência e aprumo da sua figura de insinuante simpatia, o sr. Engenheiro Augusto Machado, Director da Estação Aquícola do Ave e da 1ª Circunscrição Florestal, velho e querido amigo da família Pinto Ferreira, declarou não ser político mas não podia deixar de regozijar-se por ver à frente dos destinos de Vila do Conde, um homem probo, íntegro e justo que saberá honrar a escolha da sua nomeação. Idênticas palavras de simpatia, de amizade e de afectuoso respeito foram pronunciadas pelo srs. Eng.º Várzea, António de Araújo Ramos e Flávio Faria, este na qualidade de Secretário da Junta de Freguesia da Junqueira, que se despediu, com palavras repassadas de saudade, do dr. Pinto Ferreira, que resignara, por imposição das novas funções, ao cargo de ser Presidente. Finalmente, visivelmente emocionado, o dr. Pinto Ferreira levantou-se para falar, sendo recebido por uma vibrante salva de palmas. Agradece a presença daquela assistência selecta que, na sua terra, veio trazer-lhe o estímulo para as canseiras e as fadigas que o esperam, e conservará daquela festa, no seu coração, a recordação grata de um momento inolvidável da sua vida. Não tem um programa de aspirações que antecipadamente defina e oriente a sua acção, mas traz no pensamento a preocupação benévola de reunir as boas vontades que, verdadeiramente, se interessam pelo desenvolvimento e pela prosperidade de Vila do Conde, para que da cooperação amistosa de tantas energias dispersas resulte uma força activa e decidida a instaurar uma obra de franco e fecundo progresso. Não tem preferências especiais, tão pouco acrescenta, que imponham atenções e cuidados mais disvelados pelas necessidades de qualquer das freguesias do nosso concelho; para todas igual protecção e para as dificuldades de cada uma o empenho em resolvê-las satisfatoriamente. E renovando os seus agradecimentos mais profundos por aquela manifestação que muito o sensibilizou e nem mesmo a sua modéstia podia recusar, renova também a sua promessa de trabalhar, sem desfalecimento, por Vila do Conde, pelo seu concelho e pela Nação. As últimas palavras do dr. Pinto Ferreira foram abafadas por uma entusiástica ovação que envolveu na mesma apoteótica saudação os nomes do Presidente da Câmara, de Vila do Conde, do seu concelho e da Pátria. Findo o banquete, a assistência dispersou-se pelos salões do palacete em ameno convívio e sempre rodeados pelas gentilezas da família do dr. Pinto Ferreira e dos organizadores da homenagem, que foram inexcedíveis na fidalguia do seu acolhimento. A simpática festa, que terminou por volta das 3 horas da madrugada, deixou em todos que a ela assistiram uma indelével lembrança.

– Notas várias

Entre a assistência, além dos srs. Bento de Amorim, dr. José Maria de Andrade Ferreira, Engenheiro Augusto Machado, viam-se também Engenheiro Várzea e Esposa, dr. António Sampaio de Araújo e esposa, dr. E. Campos Costa e esposa, António Araújo Ramos e esposa, e muitas outras pessoas de que não nos foi possível colher os nomes. – O sr. Nuno Salgueiro e esposa, impossibilitados de assistir à homenagem, enviaram ao dr. Pinto Ferreira um expressivo telegrama de congratulações. – As crianças das escolas femininas da Junqueira, deram a nota enternecedora da sua presença à chegada do dr. Pinto Ferreira, lançando uma chuva de pétalas de frescas flores. – Animou a festa um esplêndido terceto musical, cujo conjunto foi unanimemente apreciado. – “Renovação” agradece, penhorada, a gentileza do convite e as atenções que ao seu representante foram dispensadas, abraçando afectuosamente o dr. Carlos Pinto Ferreira.

10 DE JULHO DE 1954 Publicidade Serviço de Transporte – COM IMAGEM

28 DE ABRIL DE 1962 Na Junqueira (COM FOTO) Homenagem ao Senhor Presidente da Câmara Municipal, Dr. Carlos Pinto Ferreira Foi com brilho extraordinário que decorreu o almoço há dias realizado nesta freguesia, em homenagem ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente da Câmara Municipal de Vila do Conde, e filho querido desta terra. A Junqueira, esta encantadora freguesia de Vila do Conde, berço do homenageado, quis dar um exemplo de gratidão manifestando a sua ex.a todo o seu reconhecimento e admiração. Reconhecimento, pelo dinamismo e pelas raras qualidades de inteligência e rectidão, postas ao serviço do progresso e prosperidade de Vila do Conde. Admiração, pelas excelsas virtudes de homem de bem, com uma conduta e aprumo inexcedíveis em todos os ramos da sua actividade. Como homem, é o esposo fiel, o pai carinhoso, o amigo dedicado; como médico, é o clínico de coração bondoso que, com extraordinária abnegação, acorre a toda a parte onde há alguém em perigo de vida, onde há um moribundo que precisa de uma palavra de conforto e de esperança, onde há uma dor que é preciso minorar. Como Presidente da Câmara, é o homem público ideal que sacrifica a sua vida em prol do agregado social que dirige, que põe todas as suas faculdades ao serviço do bem comum, que rouba às horas de lazer ao doce convívio do lar, para tratar com carinho dos interesses dos seus munícipes. Foi por tudo isto que o povo da terra natal do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira lhe quis manifestar a estima e o apreço que tem pela sua personalidade. Se, apesar de tudo isto, ainda há quem lhe não reconheça essas virtudes sublimes e essas raras qualidades de homem público, só pode ser uma pessoa mordida pela inveja do alto cargo que ele ocupa. Assistiram ao almoço, que decorreu num ambiente de alegre familiaridade, cerca de 120 pessoas todas da Junqueira. Antes da série de brindes, foi oferecido um artístico ramo de flores à esposa do homenageado, sra. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira, que foi entregue por uma sua encantadora netinha, e o sr. Presidente da Junta desta freguesia entregou ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira uma pasta de couro contendo uma mensagem do povo da Junqueira. Depois, usaram da palavra os srs. Reverendo Pároco desta freguesia; Nuno Vilares Salgueiro, Flávio Freitas Faria e António Augusto Gomes Amorim. Todos enalteceram as qualidades do homenageado. Encerrou a série de brindes o homenageado, que, comovidamente, agradeceu a todos os presentes a homenagem que lhe foi prestada, dizendo não ser merecedor dela porque, se, como médico, lhe chamaram já o “mártir” da Junqueira, parecia-lhe que o sacerdócio da medicina não devia ser encarado de outra maneira. Continuando, disse que na vida administrativa tem procurado fazer valer os direitos a que a sua terra (Vila do Conde) tem jus. Disse ainda que esta homenagem seria o incentivo para que continue no próximo quadriénio a trabalhar mais ardentemente por Vila do Conde e por todos os vilacondenses. – C.

7 DE DEZEMBRO DE 1963 Câmara Municipal Sob a presidência do sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, secretariado pelos srs. Ezequiel Minhava e Joaquim Azevedo Neves, reuniu, no último dia 2, o novo Conselho Municipal, para proceder à eleição dos vereadores para a gerência de 1964-67 (…) Efectivos (…) António Augusto Gomes de Amorim, professor, da Junqueira. (…) Substitutos (…) Flávio de Freitas Faria, industrial, da Junqueira. (…)

15 DE FEVEREIRO DE 1964 Pelos Bombeiros Continuamos a publicar os nomes das pessoas que contribuíram, com os seus donativos, para a compra da nova ambulância: Freguesia da Junqueira Com 250$00: Dr. Eduardo Campos da Costa Com 200$00 António da Costa Faria Com 100$00 Dr. Carlos Pinto Ferreira e Joaquim Ferreira da Costa Com 50$00 Adelino Azevedo Cunha e Pereira, Flávio de Freitas Faria, António Ferreira da Costa Magalhães, António Lucas Patrício, Manuel Lopes Curval, Anónimo, Júlio da Costa Amorim, Alberto Lima Ventura da Conceição, Carlos Rocha e Padres Monfortinos. Com 40$00 José Lopes da Costa Com 30$00 Alcino Costa Fernandes, Padre Manuel Baptista de Sousa e Manuel Domingos e Sá Com 20$00 Manuel da Silva Costa, Carlos da Silva Lopes, Alberto Antunes Lopes da Costa, Serafim Martins Ramos, Alfredo Moreira Maia, António Gonçalves Araújo Ramos, Manuel Campos Ferreira, António da Silva Baptista, Alexandrino Gomes Peniche, D. Maria Gomes da Silva Casa Nova, Ernesto Cardoso de Oliveira, Joaquim Gomes da Silva, Armindo da Silva Lopes, Joaquim Gonçalves de Sá, João da Costa Carneiro, Manuel Lopes da Silva, José Maria Ferreira, Albino Ferreira Boucinha e Manuel Gonçalves Ferreira. Com 10$00 Domingos Lopes Faria, António Pereira Novais, Luís Cândido Baptista da Costa, Manuel Lopes Baptista da Costa, José da Costa e Silva, Adelino Gomes Oliveira, Luis Dias, Joaquim da Costa Santos, João Amorim Silva Capela, Armando da Costa Neves, Carlos Baptista Carvalho, Amândio Machado, António Oliveira, Manuel José Pereira, José de Sousa, Manuel da Costa Ferreira, Joaquim Gomes Ferreira, Alfredo José do Vale, Daniel Ferreira, José Ferreira de Matos, António Ferreira de Matos, José da Costa Oliveira, Domingos Cunha Soares, Manuel José Aguiar, António Gonçalves Faria, Fernando da Silva Fernandes, Francisco Lopes da Silva, Amadeu Alves, Adelino Lopes da Silva e Joaquim Ferreira Matos. Com 7$50 Lino Fernandes Faria e Júlio Balazeiro Amorim Com 5$00 Manuel Rodrigues da Costa, Joaquim Gonçalves Baptista, Adelino Cândido Baptista da Costa, José Lopes Moreira, Constantino Lopes Ferreira, Marcelino Gomes Araújo, José Ferreira da Costa, Carlos Frutuoso da Silva, Augusto Lopes Moreira, Manuel Baptista Carvalho, Marcelino Baptista Oliveira, Américo Cândido Baptista da Costa, Marcelino Baptista da Rocha, Manuel José Luís, D. Maria da Piedade Neves, Francisco Pereira da Costa, José da Costa Campos, D. Odete Ferreira Soares Carneiro, José António Ferreira Alves, Eduardo Silva, António Carreira Faria, Joaquim Gonçalves Gomes, Alexandrino da Silva, José Maria Lopes, Fernando Vilarinho Silva, António Lopes Ferreira, António da Silva Azevedo, David Américo Ferreira Alves, José da Costa Santos, D. Inês Neves Maia, António da Costa Ramos, D. Emília Lopes Curval, António Lopes Alves, Ângelo Dias Ferreira, Alexandrino Machado da Cunha, Isaac Leituga de Sousa, Luís Carvalho da Silva, Abel da Costa Oliveira, José Lopes do Souto, António Francisco Fernandes, António da Costa Cardoso Barbosa, Júlio Pereira da Silva, Carlos Faria, Paulino Ferreira Matos, Manuel Fernandes, D. Diolinda Ferreira Matos, Augusto Cerqueira, António Ferreira da Silva, Francisco Pereira dos Santos, D. Arminda da Silva Cerqueira, Aníbal Moreira Mesquita, D. Olívia Rodrigues Palácio, Laurentino Alves das Neves, António de Oliveira Carvalho, D. Maria Alves de Oliveira, D. Maria Amélia Baptista, D. Albertina Joaquina Ferreira, Manuel Gomes Pereira, Joaquim Agra, Albino Lopes Ferreira, António Martins Ferreira da Costa, Adelino Oliveira Curval, Manuel da Costa e Silva, António Vilas-Boas, Manuel Silva, Manuel António Faria, António Joaquim Monteiro da Silva, D. Maria da Silva Ferreira, José Gomes Lameiro, Manuel Alves Amorim, Manuel da Silva Pereira, Manuel Capela, José Martins, Horácio da Silva Pereira, Joaquim Gomes da Silva, Horácio Costa Santos, José Ferreira da Costa, David Lopes Azevedo, Álvaro Gonçalves da Costa, Joaquim Lopes da Silva, Armindo Leites, José Lopes da Silva e Joaquim Lopes da Silva. De diversos, com importância inferiores a 5$00 – 257$30.

28 DE MARÇO DE 1964 Secretaria Notarial da Póvoa de Varzim Segundo Cartório – Certidão – Certifico que, desde folhas oitenta e oito, verso, a oitenta e nove, verso, do livro B, número onze, de “Escrituras diversas”, deste Cartório, se encontra exarada, com data de hoje, uma escritura de “Constituição de Sociedade” entre Flávio de Freitas Faria, industrial e Dulce da Costa Fernandes Faria, doméstica, casados um com o outro, residentes no lugar de Casal de Pedro, freguesia de Junqueira, do concelho de Vila do Conde, nos termos seguintes: Primeiro – A sociedade adopta a denominação de “Empresa de Transportes da Junqueira, Limitada”, tem a sua sede no mesmo lugar de Casal de Pedro, freguesia de Junqueira, concelho de Vila do Conde, e durará por tempo indeterminado. Segundo – O seu objecto é o exercício da indústria e comércio de transportes rodoviários e qualquer outro ramo de comércio e indústria que resolva explorar, dentro dos limites legais. Terceiro – O capital social é de Cinquenta Mil escudos e representado por duas quotas iguais de vinte e cinco mil escudos; pertencentes a cada um dos sócios. Parágrafo único – Cada uma das quotas já se encontra realizada e ambas são representadas pelo camião de carga, marca “Scania – Vabis”, matrícula B – E – vinte e quatro – sessenta e três, com a respectiva licença de aluguer, tudo inscrito em nome do primeiro e pertencentes, em partes iguais, a cada um dos outorgantes. Quatro – A gerência, dispensada da caução, pertence ao primeiro outorgante e a sociedade obriga-se pela sua assinatura. Quinto – A cessão de quotas a estranhos fica dependente da autorização da sociedade. Sexto – Em caso de morte de um dos sócios, a sociedade continuará com os herdeiros do sócio falecido, que, entre si, designarão um que a todos represente na sociedade. Sétimo – Salvo os casos em que a Lei exigir formalidades especiais, as assembleias gerais serão convocadas por cartas registadas enviadas com oito dias de antecedência. Está conforme o original, na parte transcrita e certificada, nada havendo, na parte omitida, em contrário ou além do que se narra ou transcreve. Secretaria Notarial da Póvoa de Varzim, dezasseis de Março de mil novecentos e sessenta e quatro. O Notário a) João Caetano Nunes Guerreiro.

MARÇO DE 1965 – Emigrou para o Brasil o sr. Flávio F. Faria, acompanhado de sua mae, esposa e filhos, tendo-nos sensibilizado com a sua amável despedida. – in Boletim Paroquial da Junqueira, Março de 1965

30 DE MAIO DE 1970 (Do jornal Renovação, de 30-5-70) TRIBUNAL JUDICIAL da Comarca de Aveiro Anúncio (1.ª publicação) Por este se anuncia que pelo Primeiro Juízo de Direito da Comarca de Aveiro e 2ª secção, correm éditos de trinta dias, contados da segunda e última publicação deste anúncio, citando os executados Flávio de Freitas Faria, industrial e mulher Dulce da Costa Faria, que residiram no Casal do Pedro, freguesia de Junqueira, comarca de Vila do Conde, actualmente ausentes em parte incerta do Brasil, para no prazo de cinco dias, findo o dos éditos, pagarem à executante Maria Isabel da Silva Carvalho Ferreira ou Maria Isabel Barreiros da Silva, do Bombarral – Caldas da Rainha, por si e como legal representante de sua filha menor, a quantia de cento vinte cinco mil quatrocentos noventa e seis escudos, ou, dentro desse prazo, nomearem bens à penhora suficientes para esse pagamento e das custas, sob pena de, não o fazendo, esse direito ser devolvido à exequente, correndo a execução de sentença, por apenso à respectiva acção especial – Código da Estrada. Aveiro, 27 de Abril de 1970. O Juiz de Direito, substituto, Júlio Amarejo O Escrivão de Direito, Francisco Augusto Carneiro.

3 DE ABRIL DE 1971 Quinta de Casal Coutinho VENDE-SE na freguesia da Junqueira, deste concelho, pertencente a Flávio Faria. Informa o seu procurador Jaime Correia Vilaça – Santiago da Cruz – Vila Nova de Famalicão ou pelo Telefone 91120.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s