Guilhermina da Silva Félix

Dados biográficos:

– casado com Joaquim Lopes da Silva

– mãe de José Lopes da Silva Félix, Júlio Lopes da Silva Félix, Maria Silva Félix, Beatriz Silva Félix, Arminda Silva Félix, Rosa Silva Félix, Alice Silva Félix, Alfredo Silva Félix

– sogra de Joaquim da Silva Amorim

Notícias completas:

6 DE JUNHO DE 1953 50 anos de casados Completam no dia 8 do corrente, cinquenta anos de casados, os srs. D. Guilhermina da Silva Félix e Joaquim Lopes da Silva, proprietários, residentes na freguesia da Junqueira, deste concelho, extremosos pais do nosso estimado assinante sr. José Lopes da Silva Félix, considerado industrial desta Vila. Para comemorar tão ditosa data, seus filhos organizam uma festa familiar, a primeira no género que se realiza na referida freguesia, afim de todos manifestarem aos seus queridos Pais o quanto lhe querem e a estima em que são tidos. Efectivamente, constitui tal data razão especial para a referida festa e, certamente, grande satisfação vão ter os festejados, não só pela sinceridade de que se reveste a realização, mas por terem a consolação de ver ao seu redor, todos os que lhe são queridos, na passagem de uma data que para sempre será lembrada – a data das suas “Bodas de Ouro” de Casados. 

20 DE JUNHO DE 1953 Bodas de ouro de casados Agradecimento Os filhos dos srs. Joaquim Lopes da Silva e D. Guilhermina da Silva Félix, sentem-se na obrigação de, por este meio e para evitar qualquer falta involuntária que pudesse ser levada à conta de menos consideração e amizade, manifestar publicamente o seu reconhecimento a quantos contribuíram para o brilhantismo que atingiu a celebração das “Bodas de Ouro” matrimoniais de seus queridos Pais, recentemente festejadas na freguesia da Junqueira, deste concelho.

15 DE JUNHO DE 1953 Junqueira, 12 Bodas de Ouro – No dia 8 do corrente mês, festejaram condignamente as suas Bodas de Ouro de casados, os nossos amigos e benquistos conterrâneos sr. Joaquim Lopes da Silva e sua esposa sra. D. Guilhermina da Silva Félix. Rodeados de todos os seus filhos, netos e bisnetos, assistiram a uma missa na Capela da Nossa Senhora das Graças, em acção de graças por tão faustosa data. O adro da Capelinha encontrava-se engalanado com cordas e um artístico tapete de mimosas flores com motivos adequados, realizado por pessoas amigas, dava ao ambiente festivo que os rodeava mais encanto e beleza. Pessoas de todas as categorias sociais e das melhores desta freguesia, associaram-se à festa. Cinquenta anos de casados – de trabalhos e canseiras, de alegrias e desgostos passaram velozes pela sua mente, numa visão retrospectiva, quando, ao serem felicitados por tantas pessoas amigas, nos seus olhos marejados de lágrimas de emoção e alegria a todos comovidamente agradeciam. Seguiu-se um lauto jantar, a que assistiram todas as pessoas de família, que decorreu num ambiente de alegria e entusiasmo, tendo-se associado, com expressivas e carinhosas mensagens, os seus filhos e amigos ausentes em Pernambuco. De novo renovamos as nossas felicitações, certos de traduzir o pensamento e vontade dos seus numerosos amigos, pedindo a Deus que os cubra de bênçãos e felicidades e que lhes proporcione um futuro cheio de prosperidades. COM FOTO!!!!

18 DE DEZEMBRO DE 1954 Junqueira, 16 Falecimento – Confortada com os Sacramentos da Santa Igreja, e após prolongado e doloroso sofrimento, faleceu no passado dia 12, na sua residência, no lugar da Sra. Das Graças, desta freguesia, a sra. D. Guilhermina da Silva Félix, de 74 anos de idade, casada com o sr. Joaquim Lopes da Silva, secretário da Junta desta freguesia. A saudosa finada, muito estimada por todos pelas suas raras virtudes e qualidades, era Mãe das sras. D. Maria, Beatriz, Arminda, Rosa e Alice da Silva Félix; e dos srs Alfredo (ausente no Brasil), José e Júlio L. da Silva Félix. No seu funeral, que se realizou no dia 14, de casa para o cemitério paroquial, incorporaram-se centenas de pessoas da maior representação social, não só desta freguesia, e circunvizinhas, como de Vila do Conde, Porto, Macieira de Rates, Fontainhas, Balazar, etc., que conduziram dezenas de coroas e bouquets. Na Capela da sra. Das Graças foi rezada Missa de Corpo Presente. A chave da urna foi entregue ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, Presidente da Câmara Municipal deste concelho. A toda a numerosa família enlutada, em especial ao sr. Joaquim Lopes da Silva, a seus filhos Júlio e José Lopes da Silva Félix, e seu genro sr. Joaquim da Silva Amorim, nossos prezados amigos e assinantes, apresentamos sentidos pêsames. – À Missa do 7º dia, celebrada hoje na nossa Igreja Paroquial, assistiu elevadíssimo número de pessoas.

24 DE AGOSTO DE 1957 Junqueira, 20 Falecimento – Depois de prolongado e doloroso sofrimento, faleceu no passado dia 17 do corrente, com 82 anos de idade, na sua residência desta freguesia, o conceituado comerciante, o sr. Joaquim Lopes da Silva. O saudoso extinto, viúvo da sra. D. Guilhermina da Silva Félix, era pai das senhoras: Maria, Arminda, Rosa, Beatriz e Alice da Silva Félix e dos senhores: José, Júlio e Alfredo da Silva Félix, este ausente no Brasil. O falecido era pessoa muito conhecida e estimada, porquanto possuía qualidades de rara nobreza e fortes sentimentos de solidariedade humana. Durante os vários períodos de tempo em que exerceu diversos cargos na Junta desta freguesia, mostrou sempre um intenso dinamismo a dar realidade às aspirações do povo da sua terra. Durante a sua longa existência, teve, por vezes, que lutar contra as consequências de um destino adverso, mas a sua alma forte nunca soçobrou perante a má sorte. As sua preciosas qualidades de trabalho e a sua honradez foram as únicas armas com que venceu na vida. Tendo muitos filhos, a todos soube dar uma educação condigna e a todos garantiu um bom futuro material, dando-lhes a grande lição de que “o trabalho é a maior fonte de riqueza”. O seu funeral realizou-se no dia seguinte, pelas 11 horas, de sua casa para a Capelinha de Nossa Senhora das Graças, onde foi celebrada missa de corpo presente, e daqui para o Cemitério Paroquial, tendo sido sepultado em jazigo de família. Imensa gente, de perto e de longe, acompanhou o falecido à sua última morada, testemunhando, assim, a sua estime e a sua amizade à família do extinto. Em virtude do caminho a percorrer, entre a casa do extinto e o cemitério, ser demasiado curto, apenas foi possível organizar um turno, constituído por pessoas de família. Conduziram a chave do caixão e a toalha, respectivamente, os srs. Bento de Sousa Amorim e dr. Carlos Pinto Ferreira. A todo a família enlutada, envia Renovação os seus sentidos pêsames.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s