Guilhermina Ferreira Campos Costa

Dados biográficos:

– mulher de José Baptista da Costa, proprietário, presidente da Junta de Freguesia

– mãe de Felismina Campos Costa, Emelina Campos Costa e de Eduardo Campos Costa

sogra de Carlos Pinto Ferreira (?) e António Sampaio Araújo

– prima de Maria Ferreira Campos e Silva

 

Notícias completas:

9 DE ABRIL DE 1938 Junqueira, 7 Pedido de casamento Foi pedida em casamento para o snr. R. A. Sampaio d´Araújo, muito distinto clínico na Póvoa de Varzim, a sra. D. Emelina Campos Costa, prendada filha da sra. D. Guilhermina Ferreira Campos e do sr. José Batista da Costa, considerados proprietários da freguesia da Junqueira, deste concelho. O enlace matrimonial realiza-se brevemente.

7 DE SETEMBRO DE 40 Encontra-se doente a exma. Sra. D. Guilhermina Ferreira Campos, esposa do nosso querido amigo e assinante sr. José Baptista da Costa, da Junqueira.

2 DE NOVEMBRO DE 40 Continua a experimentar melhoras a senhora D. Guilhermina Ferreira Campos, esposa do sr. José Baptista da Costa, presidente da Junta desta freguesia, que há tempo, como então noticiamos, foi vítima de um grave desastre.

13 DE SETEMBRO DE 41 Junqueira, 10 Naquela estância termal [nota: não especificada] encontra-se a sra. D. Guilhermina Ferreira da Costa, esposa do sr. José Baptista da Costa, presidente da Junta desta freguesia.

12 DE DEZEMBRO DE 42 (Junqueira, 8) Confortado com os sacramentos da igreja, faleceu anteontem, às 6 horas da noite, a sra. D. Maria Ferreira Campos e Silva, viúva, proprietária, desta freguesia. A saudosa extinta, que contava 83 anos de idade, era prima da sra. D. Guilhermina Ferreira de Campos e António Sampaio Araújo, e dos srs. Drs. Eduardo Campos Costa, Carlos Pinto Ferreira e António Sampaio Araújo, e tia dos srs. Drs. Abel da Silva Pereira, professor da Faculdade de Farmácia do Porto e António da Silva Pereira, médico em Terroso.
A sra. D. Maria foi uma verdadeira benfeitora da nossa igreja, mandando fazer reparos no exterior que eternizarão esse grandioso edifício, e no interior, pelas beneficiações que lhe fez, muito alindou esse vasto templo que por peditórios banais nunca poderia ser convenientemente reparado e venerado.
O seu funeral, que se realizou hoje às 10 horas, foi concorridíssimo, nele se incorporando pessoas de várias freguesias deste concelho, do da Póvoa de Varzim e de Famalicão. À família em luto, os nossos pêsames.

24 DE JUNHO DE 44 (Junqueira, 44) Faleceu na passada segunda-feira, após curta enfermidade, o sr. José Baptista da Costa, presidente da Junta desta freguesia, e antigo vereador da Câmara Municipal.
O saudoso extinto, que contava 75 anos de idade, era pai das sras. D. Felismina e D. Emelina Campos Costa e do sr. Eduardo Campos Costa e sogro dos srs. Carlos Pinto Ferreira, digno Delegado de Saúde deste Concelho e estimado director do nosso jornal, e António Sampaio Araújo, distinto médico na Póvoa de Varzim.
O seu funeral realizou-se hoje, sendo muito concorrido de pessoas desta freguesia, achando-se também largamente representadas quase todas as freguesias do concelho, e a Póvoa de Varzim.
O saimento fúnebre teve lugar às 10 horas, sendo acompanhado por onze eclesiásticos. A chave do caixão foi entregue ao sr. Presidente da Câmara.
Ao pano de honra pegaram os srs. Adelino Félix, António Magalhães, Carlos Capela, António C. Azevedo, Elias Cardoso e Joaquim Cerqueira da Costa.
De casa até ao cemitério organizaram-se diversos turnos, compostos pelos ex.mos. Srs.: Juiz de Direito, drs. Pereira Júnior e Andrade Ferreira, Bento Amorim, drs. José M. de Sousa Pereira, Serafim Ramos e J. Pacheco Neves, Engenheiro Augusto Machado, Teófilo Bento, dr. Américo Graça, João Dias, António Ribeiro, José Linhares, Bernardino Pinheiro, José Lima, José Magalhães, Américo Fernandes da Silva Madureira, Eduardo Correia, José Laranja, Major Serafim Temudo, dr. Raul Cardoso, Avelino Faria, João Torres, dr. Ramos de Almeida, dr. Albino Dias, Serafim Almeida, António Patrício, M. Guilherme de Faria, Horácio Nogueira, Manoel Baptista da Costa, etc.
Muitos “bouquets” e coroas foram entregues a pessoas cujos nomes não nos foi possível obter. O cadáver foi inhumado em jazigo de família.
A toda a família enlutada, os nossos sentidos pêsames.

15 DE JANEIRO DE 1955 Na Junqueira Festa na Escola Feminina No passado dia 2, realizou-se na Escola Feminina desta freguesia uma encantadora festa de caridade, dirigida e organizada pela distinta Professora sra. D. Maria Júlia de Mesquita Ramos. Teve como finalidade a distribuição de agasalhos às crianças mais pobres. Contribuíram para a festa uma importante verba oferecida pela Assistência Médico-Social e a generosidade e boa compreensão das sras. D. Mafalda Gomes Machado, Cândida Ferreira da Costa Várzea, Alice da Silva Nogueira, Amélia Ribeiro Nogueira, Beatriz Rainha, Matilde Ferreira Várzea, Fernanda de Freitas Faria, Ana Pinto Ferreira Quinteira, Maria Pinto Ferreira, Lizete da Costa Ferreira Magalhães, Constância Leite de Sá, Felismina Félix Aguiar, Maria da Assunção Caldas de Mesquita, Maria Eugénia da Costa Fernandes, Guilhermina Ferreira Campos, Emelina Campos Costa e o menino José César Cardoso Pinto Ferreira. Também foram oferecidos pelo Laboratório Bial, por intermédio do nosso conterrâneo, sr. Dr. António Ferreira da Costa, uma grande quantidade de remédios que serão distribuídos às crianças, conforme as necessidades físicas e por indicação médica dos clínicos que prestam auxílio nesta Obra de Assistência. O montante de agasalhos fornecidos às crianças foi de 1.277$00, afora os medicamentos. Ao acto compareceram as pessoas mais gradas e representativas da freguesia, bem como um grande número de espectadores, que assistiu, comovido e encantado, a esta festa. À Mesa, presidiu o dr. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente do nosso Município; era ladeado, à direita, pelos srs. Pe. Manuel Gomes Fernandes, Pároco da Junqueira, Manuel Gonçalves de Sá, Regedor; Dr. António Ferreira da Costa e António Augusto G. Amorim; à esquerda, sentaram-se os srs. Horácio da Silva Nogueira, Presidente da Junta; e Eng. José Várzea. A abrir a sessão, usou da palavra o sr. Dr. Pinto Ferreira que, num brilhante improviso, focou o significado e o alto valor da obra realizada pela Assistência Médico-Social, lembrando quanto se tem feito nesta terra, por intermédio daquele organismo. Acabou por dar a boa nova da fundação de uma Cantina Escolar, com o fim de serem distribuídas sopas, diariamente, às crianças pobres, sub-alimentadas. Para isso, dirigiu palavras de apelo e compreensão aos habitantes da freguesia, para darem a sua cooperação e auxílio a esta importante Obra de Beneficiência e Caridade. As suas palavras foram veementemente aplaudidas por toda a assistência, que mostrou a sua plena adesão àquela ideia. Falou, em seguida, a professora da Escola Feminina, sra. D. Maria Júlia de Mesquita Ramos. Começou por pronunciar sentidas palavras de agradecimento a todas as pessoas que contribuíram, de algum modo, para que esta festa se realizasse, destacando, em primeiro lugar a acção do sr. Dr. José Aroso, poderoso impulsionador da Obra de Assistência Escola, e da qual se deve a sua instituição nesta terra, expressando, em seguida, o seu pesar por não poder estar presente. Em segundo lugar, dirigiu as suas palavras, também de gratidão, ao sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira, pelo muito que tem feito pelas crianças das escolas e, de uma maneira geral, por toda a freguesia. “Através da sua acção – afirmou – verifica-se o veemente desejo de dar solução aos problemas mais urgentes da sua terra, que ele quereria ver próspera e feliz. Para tudo que tenda a beneficiar os seus conterrâneos, o sr. Dr. Carlos Pinto Ferreira está pronto a dar o melhor do seu coração e do seu esforço“. Focou, em seguida, o quanto se deve ao sr. Dr. António Ferreira da Costa, por intermédio de quem tem sido oferecida grande quantidade de medicamentos, pelo Laboratório “Bial”, que têm garantido uma boa assistência higiénica às crianças. Agradeceu, também, aos distintos clínicos que, de bom grado, se prontificaram a colaborar nesta Obra de Assistência Escolar, srs drs. Sampaio de Araújo, Eduardo Campos Costa e Alfredo Peniche. Finalmente, dirigiu palavras de louvor às senhoras que contribuíram tão generosamente com as suas dávidas. Depois destas palavras, as crianças entoaram diversas canções e recitaram várias poesias, alusivas à quadra festiva do Natal. Por fim, procedeu-se à distribuição das roupas e agasalhos a 52 crianças que, comovidamente, as iam recebendo das mãos do sr. Dr. Pinto Ferreira. Parabéns a todos quantos contribuíram para esta festa de Beneficiência e Caridade e, em especial, à sra. D. Maria Júlia de Mesquita Ramos, distinta professora da Escola Feminina, que é digna dos melhores elogios, pela maneira brilhante como soube organizá-la. – C.

4 DE AGOSTO DE 1962 Da Junqueira Falecimento Às primeiras horas da madrugada do passado dia 29, faleceu a sra. D. Guilhermina Ferreira Campos, de 88 anos de idade, deixando a família mergulhada na mais profunda consternação. A saudosa extinta era casada com o sr. José Baptista da Costa, já falecido; mãe das sras. D. Felismina Campos Costa Pinto Ferreira e Emelina Campos Costa de Araújo e do sr. Dr. Eduardo Campos Costa; sogra dos srs. Drs. Carlos Pinto Ferreira, ilustre Presidente da Câmara Municipal deste concelho, e António Sampaio de Araújo, vice-presidente da Câmara Municipal do concelho vizinho; e avó da sra. D. Maria Emelina da Costa Pinto Ferreira Amorim, ausente no Brasil e casada com o sr. João Gomes da Costa Amorim, da menina Maria Eduarda Costa de Araújo e dos srs. Orlando da Costa Pinto Ferreira, casado com a sra. D. Maria da Conceição Pontes Pinto Ferreira, Fernando José da Costa Pinto Ferreira, Eduardo da Costa Pinto Ferreira e Sérgio da Costa Araújo. Era uma senhora muito estimada por quantos a conheciam, porquanto era possuidora das mais nobres e excelsas virtudes. O amor ao semelhante foi um sentimento que constantemente se revelava em actos de caridade. Na verdade, os mais desventurados, os mais desprotegidos da fortuna, sempre encontraram no coração bondoso da sra. D. Guilhermina o alívio das suas dores; nunca negou uma esmola a quem alguma vez lha pediu; a sua casa, amparo de muitas famílias, todos acolhia com a mais extrema compaixão pelo infortúnio, todos acarinhava num amplexo de amor. Os seus profundos sentimentos religiosos manifestaram-se durante a sua vida numa frequência assídua dos sacramentos e em dádivas pródigas para a conservação e melhoramentos da Igreja Paroquial. O funeral da saudosa extinta, que a todos deixou profunda mágoa, realizou-se no dia seguinte, pelas 10 horas, da sua residência, no lugar da Garrida, para jazigo de família no Cemitério Paroquial. No préstito fúnebre incorporaram-se centenas de pessoas de todas as classes sociais, desde os mais humildes a quem protegeu, até às mais altas individualidades com quem contactou. Este extenso cortejo que a acompanhou até à sua última morada foi a prova eloquente da estima que grangeara no coração de quantos a conheciam. A urna foi conduzida num luxuoso carro fúnebre, atrás do qual seguiam pessoas de família e uma extensa fila de automóveis. A chave da urna foi conduzida pelo neto da falecida, sr. Orlando da Costa Pinto Ferreira. À família enlutada, os nossos mais sentidos pêsames. – C.

25 DE AGOSTO DE 1962 Agradecimento A família de Guilhermina Ferreira Campos, da Junqueira, vem por este meio, agradecer, muito reconhecidamente, a todas as pessoas que se dignaram incorporar no funeral da chorada extinta, bem como às que se interessaram pelo seu estado durante o decorrer da doença e ainda às que assistiram à Missa do 7º dia que por sua alma foi celebrada. Junqueira, 22 de Agosto de 1962

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s