José Ferreira Boucinha

Dados biográficos:

  • padrinho de casamento de António Lopes e de Maria Luiza
  • casado com Rosa da Silva Félix
  • pai de José da Silva Ferreira
  • carpinteiro
  • pai de José da Silva Ferreira e António da Silva Ferreira Boucinha
  • emigrante no Brasil

Notícias completas:

22 DE OUTUBRO DE 1949 Carta da Junqueira Abertura solene das aulas Teve o maior brilho, a solene inauguração do presente Ano Lectivo, que teve lugar na espaçosa Sala de Aula da Escola Masculina desta freguesia, no passado dai 7. Linda flores, colocadas por toda a Sala, nas mesas e carteiras da escola, davam um lindo aspecto ao acto que pela primeira vez se ia praticar. Ao lado da mesa do professor via-se a Bandeira Nacional, e nas paredes, em vistosos dísticos, entre outros, liam-se os seguintes pensamentos: — Se tu soubesses o que custa mandar, gostarias mais de obedecer toda a Vida. – A tua Pátria é a mais linda de todas as Pátrias: merece todos os teus sacrifícios. – Nunca ponhas o teu interesse acima do da tua família, porque tu passas e ela fica. – Faz aos outros o que quiseres que te façam a ti. Presidiu à sessão o reverendo pároco desta freguesia, ladeado pelos srs. Carlos da Silva Capela, Domingos Lopes Faria e António da Costa Faria, que constituem a Junta de Freguesia. Em lugares de destaque, sentaram-se os srs. Comendador Rebelo de Carvalho e as sras. D. Ilda Rebelo de Carvalho, D. Sebastiana Gomes, D. Mafalda Gomes Machado, Júlio da Costa Amorim, José Ferreira Boucinha, etc. Numerosos pais de alunos e outras pessoas amigas da Escola completavam a avultada assistência. Em primeiro lugar usou da palavra o professor sr. José Lopes da Costa, que agradeceu a comparência da digna Junta, dos pais das crianças e das distintas Famílias ali presentes, que vinham assim manifestar o seu interesse, a sua dedicação e simpatia pela escola dos filhos do povo da nossa terra. Agradeceu ao reverendo pároco a boa vontade com que sempre coopera nestes actos, fazendo assim viver em proveitosa harmonia, em estreito amplexo, a Igreja e a Escola. Depois de se espraiar, em oportunas considerações, apela para os pais das crianças para que as mandem sempre à Escola e auxiliem os professores na obra educativa em que estão empenhados, frisando a Bondade, o Amor, a Caridade, a boa educação são atributos de Deus que todos devemos praticar para que a Sociedade seja mais perfeita e mais justa. Seguiu-se no uso da palavra a professora sra. D. Maria Júlia de Mesquita, cujo discurso foi muito apreciado. Começou por dizer que apresentava cumprimentos às pessoas que se dignaram prestigiar esta reabertura solene das nossas aulas com a sua honrosa presença, e, ainda mais, às que se dignaram oferecer as suas dádivas para os nossos alunos. A alegria que os interessantes prémios vão proporcionar às criancinhas, serão como que um raio de felicidade a penetrar na alma dos seus benfeitores. Entre a Escola e a Família deve existir um elo firme a ligá-las na mesma sublime aspiração. Minhas queridas meninas, – continuou noutro passo, um novo ano escolar se apresenta à nossa frente. Abrem-se, uma vez mais, as portas da nossa Escola velha, e vós, como andorinhas, alegres e chilreantes, voltais. Sêde bemvindas! Sinto pena que não possais entrar já este ano para uma Escola nova, bonita, radiosa, cheia de luz, onde poderieis sentir bem-estar e doces alegrias. Três coisas vos peço: pontualidade, dedicação pelo estudo e obediência. Por último falou o reverendo pároco, que disse: “Começar um ano lectivo é acender um facho para espancar as trevas que envolvem o cérebro das criancinhas. O professor vai incutir lentamente, nessas almas em embrião, os princípios da moral e da educação cívica, o amor de Deus, da Pátria, da Família e da Sociedade, e simultaneamente espalhando a luz do ABC, que opera maravilhas quando bem orientados e cai em terreno generosamente preparado. Mas para isso é preciso que os pais auxiliem os obreiros da instrução. Agradeceu também a comparência de tão boa gente, que assim deram um nobre exemplo de amor á Instrução”. Nos intervalos foram entoados o Hino Nacional e lindas canções patrióticas. Foram distribuídos prémios aos alunos, gentilmente oferecidos pela sra. D. Sebastiana Gomes, pela Junta de Freguesia e pela Caixa Escolar. A sessão que, como dissemos, foi muito concorrida, deixou a melhor impressão em todos os assistentes. – C. 

4 DE DEZEMBRO DE 1954 Junqueira, 29 Partidas – Depois de passarem algum tempo entre nós, de visita às suas famílias, embarcaram de regresso ao Brasil, no passado dia 19, no paquete “Santa Maria”, em Lisboa, os senhores: Eduardo de Carvalho Azevedo, com destino a Pernambuco e José Boucinha e sua esposa, com destino a S. Paulo. No mesmo barco partiram também os senhores: Manuel Machado, para S. Paulo e Manuel Ferreira, para Pernambuco. A todos, os nossos desejos de boa viagem e prosperidades nas suas actividades comerciais.

31 DE OUTUBRO DE 1959 Pelos Bombeiros (…) A Comissão angariadora de fundos para a aquisição da nova “SIRENE”, foi, no passado dia 4 do corrente, de abalada à próspera freguesia da Junqueira. Todos os seus habitantes, gente boa, sã e compreensiva, contribuíram com a mais viva satisfação para a compra da nova “SIRENE”. Concorreram com os seus óbulos, as pessoas seguintes: Com 100$00 – Nuno Villares Salgueiro e José Fernandes Campos. Com 50$00 – Dr. Carlos Pinto Ferreira, Júlio da Costa Amorim, António Magalhães, António Carvalho de Azevedo, D. Inez Pimenta de Fonseca, José Lopes da Costa, Adelino Augusto Cunha e Pereira e D. Ilda Rebelo de Carvalho. Com 30$00 – José Quinteira e Júlio Lopes da Silva Félix. Com 20$00 – Amadeu Faria, Amândio Machado, José Bento Correia, José Ferreira Boucinha, Carlos Gonçalves da Silva Capela, Arnaldo Pinto Braga, D. Amélia Ferreira da Costa, Ernesto Cardoso de Oliveira e um anónimo. Com 10$00 – Alberto Antunes, Júlio Augusto Miranda, João Gomes Araújo, D. Maria Pinto de Lima, Armando da Costa Neves, Joaquim Gonçalves Baptista, Avelino Alves e Armindo da Silva Lopes. Com 5$00 – Alexandrino Cunha, Cândido Alves Remelhe, Joaquim Agra, Adelino Cândido Baptista da Costa, Abel Lopes Moreira, Francisco Lopes da Silva, Galiza de S. Simão e Manuel Baptista da Costa Júnior. Com 2$50 – Tomaz Ferreira Baptista, Carlos Fructuoso da Silva e Adelino Lopes de Almeida. Com 1$50 – Bernardino da Silva. Com 1$00 – Luiz Lopes da Costa, Manuel Fernandes e Marcelino Gomes de Araújo. Com $50 – Cândido Batista da Costa. Num total de 922$50. E assim, Junqueira, os seus habitantes, acabavam de escrever mais uma página de amor e caridade. A todos, o nosso “muito obrigado”! (…)

22 DE JUNHO DE 1961 Junqueira, 11 Chegadas Vindos do Brasil, chegaram há dias a esta terra, com o fim de passarem uma temporada com as respectivas famílias, os srs. Eng. José Várzea e esposa; e José Ferreira Boucinha, esposa e filhos, aquele proprietário na cidade do Recife e este comerciante na mesma cidade. Os nossos cumprimentos.

NOTA: ESTE PERFIL PRECISA DE SER REVISTO POR CONFLITO DE NOMES.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s