Olga Aguiar Ferreira

Dados biográficos:

  • emigrante no Brasil
  • tia de Carlos Pinto Ferreira
  • casada com José Pinto Ferreira
  • cunhada de Randolfo Pinto Ferreira

Notícias completas:

23 DE DEZEMBRO DE 1950 Capela da Senhora da Graça, na Junqueira Em visita eventual que fizemos à progressiva freguesia de S. Simão da Junqueira, foi-nos dado verificar as importantes obras de restauro que estão em curso na antiga Capela de Nossa Senhora da Graça, sita no lugar do mesmo nome, as quais compreendem principalmente o douramento de todo o seu Altar-Mor, em que agora ficam a realçar as suas magníficas talhas de Estilo Renascença, sem igual em qualquer templo da mesma categoria deste concelho. Só esse douramento foi entregue a uma casa de Braga pela importância de 40.000$00, e é totalmente custeada pelos benquistos Vilacondenses srs. José Pinto Ferreira e Randolfo Pinto Ferreira, conceituados joalheiros em Pernambuco, que, assim, aliaram à dedicação que sempre nutriram pela sua freguesia a devoção que à referida Capela sempre manifestou a Exma. Sra. D. Olga Aguiar Ferreira, esposa e cunhada, respectivamente, daqueles dedicados vilacondenses.

7 DE ABRIL DE 1951 Capela da Nossa Senhora da Graça, na Junqueira Depois de concluídas as obras de restauro do Altar da Capela da Senhora da Graça, realizou-se no passado domingo a primeira missa, em honra de Nossa Senhora e dos seus beneméritos benfeitores, Senhores José Pinto Ferreira, sua esposa senhora D. Olga Aguiar Ferreira, senhor Randolfo Pinto Ferreira e sua esposa D. Eufrosina de Oliveira Ferreira, considerados joalheiros em Pernambuco, Rio de Janeiro, Baía e Pará. A este acto religioso assistiram todas as pessoas gradas desta terra, tendo à homilia o reverendo abade desta freguesia, Padre Manuel Gomes da Costa, tecido um hino de louvor a Nossa Senhora e aos seus ilustres devotos, filhos desta terra, e que, longe do seu torrão natal, acarinham e ajudam, com larga benemerência, os seus progressos e anseios. As obras levadas a efeito, vieram realçar a magnífica talha Renascença de que são revestidos o Altar, as paredes e o tecto, onde vemos os maravilhosos painéis representando: – A fugida para o Egipto – A visita de Nossa Senhora a Santa Isabel – A Anunciação – tornando-se, assim, esta Capela, digna de ser visitada e admirada. Para os nossos ilustres conterrâneos, vai a gratidão sincera do povo desta freguesia, certo de que nunca se esquecem e que encontram sempre nos seus bondosos corações um estímulo e uma ajuda para os seus legítimos progressos.

26 DE MAIO DE 1951  Junqueira, 20 Regressou de Pernambuco, à sua casa desta freguesia, o nosso querido amigo sr. José Pinto Ferreira, acompanhado de sua Exma. Esposa D. Olga Aguiar Ferreira e de seu sobrinho Sr. Bento Aguiar. O povo desta terra, a que se associou as autoridades locais, prestaram-lhe uma singela mas sincera e merecida homenagem de simpatia e gratidão, pelos actos de benemerência que têm prodigalizado a esta sua terra natal. Embora vivendo longe, os seus progressos encontram sempre no seu coração um estímulo e uma ajuda para que se faça sempre mais e melhor, realizando, ainda, por usa iniciativa, melhoramentos que não podem deixar de nos sensibilizar. Assim, as obras de restauro da Capela de Nossa Senhora da Graça perduram no coração de todos e ficam, como marco miliário, a consagrar o seu espírito de benemerência espiritual. Por isso o povo os cobriu de flores. Por isso as pessoas gradas da nossa terra acorreram a cumprimentá-los e a agradecer-lhes o quanto têm feito pelo seu progresso moral e espiritual. À recepção assistiram os exmos. Senhores eng. Augusto Machado, muito ilustre Director da 1ª Circunscrição Florestal, Drs. Eduardo C. Costa e Sampaio de Araújo e Esposa, Nuno Salgueiro, Padre Manuel Gomes da Costa, prof. Henrique Carneiro, António Ramos e Esposa, Horácio Nogueira e Esposa, Joaquim Lopes da Costa e Esposa, exma. sras. D. Margarida Aguiar e D. Maria Casanova, António José da Costa Júnior, Joaquim Lopes da Silva, Manuel Leite de Sá, António da Costa Faria e muitas outras pessoas.

10 DE NOVEMBRO DE 1951 Junqueira, 7 Partiu no último domingo, no “Serpa Pinto”, com destino a Pernambuco, onde é considerado joalheiro, o nosso benemérito conterrâneo sr. José Pinto Ferreira, acompanhado de sua esposa sra. D. Olga Aguiar Ferreira e de seu sobrinho sr. Bento Aguiar. Não se podendo esquecer as obras de benemerência de carácter espiritual e educativo que generosamente tem realizado e auxiliado, sentimos profundamente a sua partida, porque a sua presença era sempre um estímulo para a efectivação de melhoramentos na sua tão querida terra natal. Por isso lhes desejamos uma viagem feliz, cheia de prosperidade e um regresso muito próximo.

29 DE AGOSTO DE 1953 José Pinto Ferreira O homem vale no mundo pelo aspecto de eternidade que encarna. Vivemos no tempo mas afinal fugimos continuamente do tempo, num anseio de eternidade. Sob os golpes do tempo desabam tronos, afundam-se impérios, quebram-se feixes de ceptros. Só o homem que por grandes actos do seu espírito paira muito acima das contingências mundanas, só esse afinal se liberta das peias do tempo e, morrendo, vence a morte. Os grandes actos de caridade como o espírito religioso do homem, são argumentos vivos da espiritualidade da alma e deste anseio de eternidade que nos devora. Se com a poeira do tempo se confundem as misérias humanas ao sol da eternidade surge em tintas de glória eterna, a grandeza do homem. Se a morte, como fada negra nos beija a fronte fria, não consegue contudo a vitória total sobre o homem que, como o sr. José Pinto Ferreira, erigiu, muito acima das fronteiras do tempo, a catedral eterna do valor humano, definido pelas coordenadas do amor de Deus, do profundo da Terra onde nasceu. Ao soar aos nossos ouvidos a notícia dolorosa do falecimento deste grande amigo da Junqueira, um pensamento nos ocupou o espírito, enchendo-o de esperançosa luz: é um homem que o tempo não venceu e que a eternidade cantará. Não foi ele um benemérito insigne da linda Capela da Senhora das Graças? E não é ela um hino em pedra a cantar pelos séculos fora a generosidade do seu benfeitor? Capela da Senhora das Graças – pedras de Deus insensíveis aos desvarios do homem, que são frutas do tempo e não captaram ainda o sentido da eternidade. O tempo não o venceu porque viverá na memória grata dos pobrezinhos. Ouçamos a voz dos miseráveis que da valeta gritam e estendem a mão, mas que também sabem cantar, com voz de Cristo, os actos de heróica caridade dos seus benfeitores. Também os pobrezinhos da Junqueira sentiram as mãos carinhosas que de tão longe e tão escondidas lhes aliviava os males. Ouçamos agora a voz das criancinhas das escolas femininas da sua terra, primaveras em flor que cantarão a grande beleza da alma do sr. José Pinto Ferreira, que longe também se não esqueceu delas.

– O saudoso extinto, que era natural da freguesia da Junqueira, tinha 55 anos, e era casado com a ex.ma sra. D. Olga Aguiar Ferreira. Era sócio, juntamente com o seu irmão, Randolfo Pinto Ferreira, também grande benemérito dessa freguesia, da Joalharia Krauser e C.ª de Pernambuco, e ainda há cerca de dois anos estivera em Portugal. Ao querido Director deste jornal, de quem o extinto era tio, enviamos o nosso cartão de condolências. F. Soares Gonçalves

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s